segunda-feira, 30 de novembro de 2020

OBRIGADO JAIME RIBEIRO E 96 FM

Aguardei a definição das músicas concorrentes na 42ª Califórnia da Canção Nativa para avisar aos amigos e amigas que estarei participando da transmissão da grande final da Califa, dia 12 de dezembro, na condição de convidado da Rádio 96 FM de Uruguaiana, emissora "de fundamento" que estará disponibilizando som e imagem através da sua página, aqui no Facebook. Lisonjeado, prometo esforçar-me para corresponder ao honroso convite feito pelo colega e amigo Jaime Ribeiro, a quem eu agradeço por valorizar minha trajetória e minha dedicação ao nativismo gaúcho.

Ao parceiro "Dom Jaime", extensivo aos demais colegas da Rádio 96 FM, vai meu sincero muito obrigado pela confiança e um baita abraço. 
#énoisnacalifa   #rondadosfestivais

SOLDADO DO PASSO CERTO...!!??

A situação do Covid 19 é preocupante em todo o Brasil, que já emendou uma "segunda onda" sem terminar a primeira. Na verdade é a primeira onda que ainda não acabou e só será abrandada com a aplicação da vacina, sabe-se lá quando. 
Mas, por favor, não devemos achar isso normal. Temos que continuer nos preservando, higienizando-nos muitas vezes ao dia, usando máscara sempre e praticando o distanciamento físico. Só assim esse vírus cruel não chegará em nossas casas.
Inexplicavelmente não é isso que vem acontecendo.
O que eu percebo é que essa massa se comporta como se não houvesse pandemia, menosprezando as consequências dessa doença braba, que deixa sequelas terríveis e, o que é mais trágico, mata muita gente. Parecem uns alienados, que não lêem jornal, não escutam rádio, não assistem televisão. Ignoram o fato de que atualmente no Brasil, morre uma pessoa a cada noventa segundos, vitimada pelo Covid19. É isso mesmo, UMA PESSOA A CADA MINUTO E MEIO perde a vida, para tristeza de seus familiares e amigos.
Infelizmente essa gente que se aglomera, que não utiliza máscara, que se acha inatingível, só passará a respeitar e praticar as normas de higiene e saúde, quando ver uma pessoa que ama, entubada numa UTI, lutando pela vida.
Tomara que isso não aconteça, pois ninguém merece tal infortúnio
Amigos e amigas, confesso a vocês que fica difícil pra mim e para outras pessoas que também se preservam, entender esse comportamento negligente e suicida adotado por parcela considerável da população, inclusive conhecidos meus.
Será que somos "o soldado de passo certo no batalhão de passo errado"?

COVID EM SAP ME PREOCUPA MUITO

Todos os dias, recebo informações da assessoria de imprensa da prefeitura de Santo Antônio da Patrulha, através das quais tomo conhecimento sobre os efeitos da pandemia do Coronavírus na minha querida terra natal. 
Confesso que a cada boletim, os números revelados causam em mim uma sensação de pavor. 
Meu temor se justifica porque tenho filhos, noras, irmãos, sobrinhos, tios, primos e muitos amigos residindo em SAP. Eles me são muito caros para terem sua saúde e suas vidas em risco por causa da irresponsabilidade de certas pessoas que se acham imunes ao vírus, mas na verdade são tolos e egoístas. Importam-se apenas consigo, em detrimento do bem estar dos outros.  
Me contaram, inclusive, que lá em SAP, as pessoas que utilizam a máscara passaram a ser ridicularizadas pelas que já não aboliram por conta própria o uso do adereço de proteção.  Não posso acreditar que exista esse patamar de ignorância no seio da comunidade patrulhense.  Um absurdo se isso for verdade. 
O resultado do comportamento negligente dos meus conterrâneos, pode ser conferido nos dados oficiais divulgados pelas autoridades sanitárias do município, os quais reproduzo a seguir:
Nas 24 horas entre os dias 26 e 27 de novembro, foram registradas 76 pessoas infectadas pelo Covid19, das quais 57 tem menos de 50 anos de idade. Com mais de 70, apenas uma.  
São 46 do sexo masculino e 30 do sexo feminino, das seguintes faixas etárias:
De 0 a 15 anos: 02 (feminino)
De 16 a 20 anos:  05 (04 masculino + 01 feminino)
De 21 a 30 anos:  24 (13 masculino + 11 feminino)
De 31 a 40 anos:  14 (9 masculino + 5 feminino)
De 41 a 50 anos:  12 (8 masculino + 4 feminino)
De 51 a 60 anos:  11 (6 masculino + 5 feminino)
De 61 a 70 anos:  07 (5 masculino + 2 feminino)
De 71 a 80 anos:  0
De 81 a 90 anos:  01 (masculino)

Não é pra ficar preocupado?
Por favor, cuidem-se!  Não menosprezem essa doença, que maculou o ano de 2020 com seu rastro de tristeza.  
Resta-me orar ao “Patrão do Céu” pedindo que Ele abençoe as pessoas que estão doentes e que esparrame o poncho sagrado de sua proteção sobre meus familiares, amigos, conterrâneos e brasileiros em geral. 

sábado, 21 de novembro de 2020

ROLETA RUSSA

Diz a lenda que, na Rússia dos tempos do Czares, os soldados do seu exército inventaram um “joguinho” para minimizar os momentos de ócio e ao mesmo tempo impressionar possíveis espectadores.

A esse passatempo, deram o nome de Roleta Russa.

Funcionava assim:  

Os participantes colocavam um cartucho em uma das câmaras de um revólver, giravam o tambor e o fechavam rapidamente para que não fosse possível perceber a localização da bala. Depois disso, um deles apontava a arma para sua própria cabeça e apertava o gatilho, correndo o risco de morte caso a bala estivesse na câmara engatilhada.

Na hipótese da munição não ter sido deflagrada, o tambor era girado novamente e a arma passava para o próximo “concorrente”, e assim sucessivamente, até que alguém perdesse a vida.  

Com o transcorrer do tempo, aquela forma sinistra de demonstrar bravura, ganhou o mundo, passando a ser utilizada também como mecanismo de tortura psicológica, praticado por milícias, gangues, facções criminosas e, até mesmo por exércitos de vários países.

A Roleta Russa, nada mais é do que um forma irresponsável de brincar com a vida, menosprezando a possibilidade da morte.  

É sob este prisma que eu analiso o comportamento das pessoas em relação ao coronavírus.

As redes sociais estão repletas de imagens de gente participando de aglomerações, e o que é pior sem utilizar a máscara de proteção.   São jantares, comemorações, eventos, lives, programas de rádio e de tv, praia, passeios na serra, supermercados, bancos, bares, etc... 

Dezenas, até centenas de seres humanos dividindo o mesmo espaço, ignorando as determinações sanitárias e colocando em risco a sua saúde e a vida dos outros também.      

Agindo assim, com tamanha negligência, esses viventes não percebem, mas estão praticando uma espécie de Roleta Russa, só que em vez de revólver a arma utilizada agora é a própria boca.

Seu egoísmo não lhes deixa reparar que dentre os participantes desse hipotético jogo de azar, podem estar seus pais, seus filhos, seus parentes, seus amigos, gente que não merece perder a vida.  

O tambor está girando e a pistola está contigo...  

Vais apertar o gatilho???