sábado, 13 de fevereiro de 2021

PARABENS, MESTRE TELMO DE LIMA FREITAS !!

Em 13 de fevereiro de 1933, nascia em São Borja o compositor, músico, cantor e poeta Telmo de Lima Freitas, um dos expoentes do regionalismo gaúcho. Também exerceu outras profissões, como enfermeiropeão de estância, peão de lavoura e agente da Polícia Federal.

Criou e participou ativamente do grupo musical Os Cantores dos Sete Povos, com o qual conquistou, com a mazurca Esquilador, a Calhandra de Ouro da 9ª Califórnia da Canção Nativa de Uruguaiana, realizada em dezembro de 1979.

Sua carreira no disco iniciou em 1973 quando lançou seu primeiro LP intitulado   O Canto de Telmo de Lima Freitas.    Depois vieram mais dez discos de música e de poesia que enriqueceram sua discografia:

1973: O Canto de Telmo de Lima Freitas
1980: Alma de Galpão
1993: Tempos de Praça
1994: De Marcha Batida
2000: A Mesma Fuça
2002: Carteio da Vida
2006: Aparte
Acervo Gaúcho
De Pé no Estribo
Rastreador

Com o álbum intitulado A Mesma Fuça, lançado no ano 2000, recebeu o Prêmio Açorianos em duas categorias: Melhor Compositor e Melhor CD Regional.

Telmo é autor do livro de poesias crioulas batizado De Volta ao Pago.

Telmo de Lima Freitas foi homenageado como um dos Pilares da Tradição Gaúcha, ao lado de Nico Fagundes, Paixão Cortes e Adelar Bertussi, no livro homônimo escrito pelo jornalista Renato Mendonça.

Neste 13 de fevereiro, o grande Telmo de Lima Freitas, já devidamente vacinado contra o Covid 19, completa 88 anos de dedicação a música e ao regionalismo gaúcho.

Parabéns ao mestre Telmo de Lima Freitas !!


Depoimento necessário:

O rancho, eu chimarreando e Telmo cantando 
Esta imagem reporta ao ano de 1994, época em que eu ainda era funcionário do Banco do Brasil, atuando na agência de Santo Antônio da Patrulha, minha terra natal.  No início do mês de setembro, sugeri ao gerente, de nome Jorge, que montássemos um rancho crioulo no interior da agência, com o intuito de criarmos um cenário gauchesco, onde seriam desenvolvidas algumas ações que integrassem o nosso local de trabalho  à Semana Farroupilha daquele ano. O gerente gostou da ideia e me deu carta branca para realizá-la.

Um dos clientes do BB de SAP era Telmo de Lima Freitas, que ao ser procurado por mim, prontamente colocou-se a disposição para me ajudar a cumprir a tarefa para a qual fui designado. E que baita colaboração ele nos deu. 

Fui até a sua propriedade, localizada no  Arroio do Carvalho, interior de Santo Antônio, e voltei de lá com a camionete repleta de peças, indumentárias e antiguidades do seu fantástico acervo. Até uma rústica cobertura de capim ele emprestou. 

Não bastasse a gentileza e o desprendimento de fonecer quase todos os artigos de decoração do nosso rancho, Telmo ainda participou ativamente da programação praticada na agência, tocando, cantando, declamando e, até mesmo, preparando pratos da culinária campeira, que nós funcionários, devidamente pilchados, oferecíamos aos clientes. 

Que inesquecível demonstração de humildade e de companheirismo demonstrou o mestre Telmo de Lima Freitas durante aqueles dias.  

Sempre fui fã do artista, mas a partir daquele setembro, passei a também admirar o cidadão Telmo de LIma Freitas.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário