quinta-feira, 21 de junho de 2018

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 22 DE JUNHO


Darcy Fagundes ao microfone, em 1960.
22/06/1984:  Morre em Porto Alegre,  aos 59 anos de idade, o poeta, declamador, ator e radialista Darcy Fagundes, o Vaqueano do Rádio, como ele se auto intitulava.   
Darcy notabilizou-se por apresentar o programa Grande Rodeio, durante 15 anos na Rádio Farroupilha. Inicialmente, tinha como parceiro, o já consagrado Paixão Cortes. Mais tarde dividiu a apresentação do programa com o poeta Dimas Costa e, por último com o poeta, cantor e compositor, Luiz Menezes.  
Apresentou também o programa "Invernada Gaúcha", na TVE e o programa “Madrugada Gaúcha”, na Rádio Gaúcha.   
Em 1968 lançou o LP Tropa Amarga, que trazia poemas de grandes autores gaúchos.   
Darcy Fagundes nasceu em 15 de dezembro de 1925, em Uruguaiana.

Atualmente, tramita na Assembleia Legislativa do Estado, um projeto de lei de autoria da deputada Regina Becker, que visa estabelecer o dia 15 de Dezembro, data de nascimento de Darcy Fagundes, como o Dia do Declamador Gaúcho.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

GRACIAS ODILON !!

Nestes dias de angústia que tenho vivido, causados pela total ausência da minha voz, um gesto fraterno e solidário tornou-se motivo de enorme satisfação para este humilde comunicador. Ainda mais, vindo de uma pessoa que é uma das minhas referências no ambiente radiofônico gaúcho: meu conterrâneo, meu amigo, meu irmão Odilon Ramos.
Mesmo com a agenda lotada pelas inúmeras atividades que desenvolve, mestre Odilon teve a gentileza/grandeza de oferecer uma parcela de seu precioso tempo, colocando-se a disposição para uma eventual parceria visando a condução do programa Do Litoral à Fronteira, atração que tenho o privilégio de apresentar, no amanhecer de cada domingo, na Rádio Bandeirantes de Porto Alegre. Esta iniciativa do Odilon não me surpreende, pois o conheço a quase meio século e sei bem de sua índole, de sua compaixão e do seu amor ao próximo.
Acima de tudo, Odilon sempre fui um amigo que, ao longo do tempo, também se mostrou como um exemplo profissional pra mim. Além disso, ele tem um coração maior do que a nossa Santo Antônio da Patrulha. Agradeço a Deus por colocar na minha vida uma pessoa da estirpe de Odilon Ramos. Gracias parceiro. Baita abraço, meu irmão.

terça-feira, 19 de junho de 2018

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 19 DE JUNHO


19/06/1919:  Nasce em Porto Alegre, no bairro Passo da Areia, Leovegildo José de Freitas, conhecido no mundo artístico do Rio Grande do Sul como Gildo de Freitas.  Era compositor, mas se notabilizou como exímio repentista, sendo considerado até hoje como o Rei dos Trovadores.    Participava, e era a grande atração, do Grande Rodeio Coringa, programa de rádio da década de 60.  
Gravou seu primeiro long play em 1963. Depois disso foram mais 14 discos ao longo da carreira.   
Rivalizava em popularidade com o também saudoso Teixeirinha.     Por ironia do destino, faleceu no dia 04 de dezembro de 1983, mesmo dia em que Teixeirinha também faleceu, dois anos mais tarde. 
Em sua homenagem,  o dia 4 de dezembro passou a ser considerado como o Dia do Poeta Repentista Gaúcho, através da Lei nº 8.814/89, de iniciativa do então deputado estadual Joaquim Monks. 




19/06/1923:  Ocorreu um dos principais conflitos da Revolução de 23, o Combate da Ponte do Rio Ibirapuitã, na cidade de Alegrete.  
Honório Lemes e seus comandados Maragatos

De um lado os Maragatos, comandados pelo General Honório Lemes, o Leão do Caverá, á frente do 2º Corpo do Exército Libertador.  De outro lado os Chimangos, comandados pelo então Coronel Flores da Cunha, à frente da “Brigada do Oeste”. Entre seus subordinados estava o alegretense tenente-coronel Osvaldo Aranha. 
Nesta batalha foram empregados em torno de 1.500 homens por exército, mas a logística superior das tropas governista, foi decisiva. 
Desgastada pelas muitas horas de luta, a tropa Maragata optou por abrigar-se na Serra do Caverá, terreno por demais conhecido por Lemes. Depois do combate, os Chimangos do Coronel Flores da Cunha, continuaram a perseguição aos já judiados maragatos do General Honório Lemes.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

MORRE TALO PEREYRA


Morreu, na tarde desta segunda-feira, o cantor e compositor argentino/gaúcho Talo Pereyra.
Ele tinha 67 anos de idade e vivia em Porto Alegre, desde março de 1976, quando aqui chegou, refugiado, poucos dias depois do golpe militar que levou o general Jorge Rafael Videla ao comando de uma das mais recentes ditaduras argentinas.  
Seu primeiro amigo músico no Rio Grande do Sul foi o saudoso José Cláudio Machado, com quem passou a tocar e cantar no 35 CTG, até 1980. Em seguida, integrou o grupo Os Tropeiros do Ibirapuitã, em parceria com os cantores Leopoldo Rassier e José Cláudio Machado. Criou também, com seu conterrâneo Martin Coplas, o grupo Cantares.
Nos anos seguintes, Talo se tornou um respeitado, premiado e aplaudido músico no Rio Grande do sul, compondo e interpretando sua próprias obras e canções do repertório de sul americanos consagrados, como o argentino Atahualpa Yupanqui, os chilenos Violeta Parra e Victor Jara e o uruguaio Alfredo Zitarrosa.
Mais tarde, formou parcerias com o poeta e pajador Jayme Caetano Braun, com o cantor e compositor Cenair Maicá, ambos já falecidos, e há 39 anos com o poeta Robson Barenho.   Também musicou obras de poetas como Aparício Silva Rillo, José César Matesich, José Hilário Retamozo, Mauro Moraes, Vaine Darde entre outros.
Participou ativamente dos festivais nativistas do Rio Grande do Sul, vencendo os principais deles, inclusive a 6ª Califórnia da Canção Nativa, com a música “Leão do Caverá”, parceria com o poeta Gilberto Carvalho, interpretada por Leopoldo Rassier.
Considerado um dos grandes nomes da música regional gaúcha e sul americana, em 2018, Talo completou 52 anos de uma carreira marcante no nativismo gaúcho.  Suas canções venceram 40 festivais nativistas ao longo deste período.
Natural de La Plata, na Argentina, Raul Eduardo Pereyra, o Talo,  nasceu em 23/09/1951

sexta-feira, 8 de junho de 2018

TRIBUTO A MERCEDES SOSA COM TATIÉLI BUENO


No Sarau do Solar, dia 20 de junho, às 18h30, na Sala José Lewgoy do Solar dos Câmara da ALRS, a cantora Tatiéli Bueno apresenta "Tributo a Mercedes Sosa". O espetáculo traz no repertório, grandes clássicos da cantora argentina como: "Duerme Negrito", "Volever a los 17", "Gracias a la vida" e "Solo le pido a Dios".

Tatiéli Bueno iniciou sua carreira profissional como cantora em 2007. Desde então, participa de diversos eventos culturais e registros musicais com grandes nomes da música do Rio Grande do Sul.  Também se dedica à interpretação da música latino-americana, investe na performance buscando os atributos essenciais da personagem, com interpretação das composições na língua original - espanhol -  e na caracterização com elementos que recordam a cantora argentina, que ficou conhecida também como a "voz da América Latina".

Tributo a Mercedes Sosa deixa belas recordações e um público cativo e entusiasmado por onde passa.


SERVIÇO
Sarau do Solar apresenta "Tributo a Mercedes Sosa", com Tatiéli Bueno
Sala José Lewgoy do Solar dos Câmara da ALRS
Rua Duque de Caxias, 968, Centro - Porto Alegre
Dia 20 de junho - 18h30
Entrada gratuita
Informações: (51) 3210-2934 ou
www.al.rs.gov.br/dc




quarta-feira, 30 de maio de 2018

ALMA MUSIQUEIRA DE ALMA NOVA


O excelente grupo Alma Musiqueira foi criado no ano de 2000, pelos músicos João Marcos “Negrinho” Martins, Egbert Parada, Edilberto Bérgamo, Luiz Clóvis Girard e Gustavo Teixeira, elenco que, naqueles tempos, acompanhavam o cantor Luiz Marenco em suas apresentações.  O grupo foi responsável por muitos arranjos consagrados nos espetáculos e nos discos de Marenco, tais como os CDs “Enchendo os Olhos de Campo”, “Interior”, o álbum ao Vivo, gravado no ENART e o projeto “De Bota e Bombacha”, estrelado por Luiz Marenco e José Cláudio Machado. 

Em festivais, o grupo conquistou diversas vezes as premiações destinadas ao Melhor Grupo Instrumental e ao Melhor Arranjo. Decidido a ir além dos palcos e do trabalho junto a Marenco, o “Alma” gravou dois CDs intitulados: "Coplas de Terra Morena" e "Pampeana de Fé". 

Em 2003, convidados por Luiz Carlos Borges, participaram do Festival de Las Nueve Lunas de Cosquín, em Córdoba, na Argentina. No mesmo período, formaram o grupo Viajantes da Pampa, em parceria de João de Almeida Neto.

Agora em 2018, o grupo prepara-se para voltar aos palcos, com um novo single, na Noite Regional Vol.2, em   Santa   Maria. Na oportunidade, estreará sua nova formação que contará agora com o intérprete Pirisca Grecco, no lugar de Gustavo Teixeira. Os demais integrantes, são quatro pioneiros do grupo, os violonistas Luís Clovis Girardi e Egbert Parada, o gaiteiro Edilberto Bérgamo e o baixista João Marcos Negrinho Martins.



Bom retorno ao Alma Musiqueira.


segunda-feira, 28 de maio de 2018

DOMINGO DE COLORADISMO

Domingo é sempre um dia marcante pra mim.  É no domingo que vai ao ar o programa Do Litoral à Fronteira, que eu apresento na Rádio Bandeirantes, é dia daquele almoço com a família, de chimarrear na Redenção..., entre outras coisas prazerosas.
Mas ontem, 27 de maio, foi um domingo "pra lá de especial".   

Tivemos, eu e a Estelinha, o privilégio de participarmos de um ato em comemoração ao 10 anos de existência do projeto "Cônsul Cultural Colorado", brilhante iniciativa do S.C. Internacional, muito bem capitaneada pelo mestre e amigo Carlos Cardoso.

Por volta de 15 horas, antecedendo a partida entre Inter x Corinthians, pelo Brasileirão 2018, Cônsules e Consulesas, a convite da diretoria do clube, entraram no magnífico gramado do Beira Rio, para realizar uma “volta olímpica”, empunhando uma faixa alusiva aos dez anos do projeto.  Os cantores Nenito Sarturi e Raul Quiroga, pilchados, seguravam as extremidades da faixa, enquanto a parte central era sustentada pelos outros cônsules, dentre os quais este amigo de vocês, Jairo Reis.  
A medida que avançávamos na nossa caminhada, recebíamos o aplauso de torcida, que já ocupava grande parte das acomodações do estádio.  É indescritível o que sentimos durante aqueles minutos de carinho e consagração.

Logo após o passeio em torno do gramado, fomos conduzidos a um camarote especial onde assistimos a grande vitória do nosso Inter sobre o sempre temido (e favorecido) Corinthians, com gol do atacante Rossi, aos 45 do segundo tempo.  Simplesmente inesquecível. 

Muito obrigado ao meu clube do coração, Inter Campeão de Tudo.

Gracias querido amigo Carlos Cardoso, por conceder-me a honra de ser Cônsul Cultural, missão da qual muito me orgulho, procurando sempre desempenhá-la com extrema dedicação.   

Que baita domingo de coloradismo!

Cardoso, Quiroga, Nenito, Elton, Jairo: cultura gaúcha representada.
Ao longo da última década, 59 pessoas ligadas à cultura, à arte e à comunicação, tiveram a honra de receber o título de  “Cônsul ou Consulesa Cultural ”.  São elas:


André Damasceno, Andressa Xavier, Armandinho, Bárbara Paz, Carlos Stein, César Oliveira, Claudinho Fuhrmann, Cristina Sorrentino, Dorotéo Fagundes, Edieni Ferigollo, Eduarda Streb, Elton Saldanha, Ernesto Fagundes, Fafá de Belém, Gabrieli Chanas, Gaúcho da Fronteira, Gesner Messa, Jairo Reis, João dos Santos, João Luiz Corrêa, João Vicente, Júlia Lemmertz, Kako Kanidia, Kelly Matos, Kledir Ramil, Léo Saballa Junior, Luis de Miranda, Mano Lima, Márcio Kieling, Marcos Breda, Nenito Sarturi, Neto Fagundes, Paixão Côrtes, Paloma Poeta, Patrícia Poeta, Peppe Joe, Pirisca Greco, Quico d'Os Serranos, Rafael Malenotti, Rafinha Bastos, Raul Quiroga, Renata Fan, Rita Lee, 

Rodrigo Bauer, Rogério Beretta, Rogério Mello, Sady Homrich, Serginho Moah, Tânia Carvalho, Telmo Zanini, Thedy Correa, Túlio Milmann, Veco Marques, Vera Armando,  Vinícius Netto, Victor Hugo, Weslei Ajarda, Zé Natálio, Zé Victor Castiel.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

EFEMÉRIDES - 23 DE MAIO

23/05/1992:  Na cidade de Nimes, na França, morre o cantor, violonista, compositor e escritor argentino Atahualpa Yupanqui,. 
Considerado um dos mais importantes divulgadores de música folclórica da América do Sul, ele gravou dezenas de discos e publicou 9 livros. 
Batizado Héctor Roberto Chavero, publicou sua primeira obra literária ao 13 anos de idade, a partir de quando adotou a alcunha de Atahualpa, em homenagem ao último soberano Inca. Tempos depois, agregou Yupanqui ao seu pseudônimo, em homenagem a Tupac Yupanqui, penúltimo governante Inca.
Héctor Chavero, ou  Athaualpa Yupanqui, nasceu em 30/01/1908,  em Buenos Aires, capital da Argentina.


Zézinho e sua inseparável companheira Julieta.
23/05/2015: Morre o músico Zézinho, que durante muitos anos integrou a conhecida dupla Zézinho e Julieta.
Entre 1970 e 2015, o duo gravou 13 discos de grande sucesso. 
Zézinho no acordeon e Julieta ao violão, acompanhavam Teixeirinha e Mary Terezinha em diversas apresentações, bem como fizeram parte do elenco de alguns filmes de Teixeirinha. 
Zézinho também era radialista e se notabilizou como uma referência na radiofonia regional gaúcha. 
Zézinho era casado com Julieta, que segundo familiares, está firme e forte.

segunda-feira, 14 de maio de 2018

FESTAS DO DIVINO E DE SANTO ANTÔNIO


Prefeito Daiçon Maciel e Secretária Eliana Cunha, recebem festeiros do Divino e de Santo Antônio
Junto à imagem de Santo Antônio, o padroeiro da cidade, o prefeito de Santo Antônio da Patrulha, Daiçon Maciel da Silva, recebeu em seu gabinete, na sexta-feira (11/05), os Festeiros do Divino e de Santo Antônio.
O momento foi abençoado pelo Padre Ozéias, pároco da Igreja Matriz da Cidade Alta, que também divulgou o programa da Festa de Santo Antônio, convidando para as Trezenas, que se iniciam no 1º de junho, às 19h30min, com missa sobre a temática “A Comunidade não pode ser de aparências”.
Destacam-se ainda, na programação, a Cavalgada dos Tropeiros e Cavalarianos e a Missa Crioula, seguida pelo tradicional Sopão do Divino, no sábado, dia 02 de junho.  
No domingo, dia 10 de junho, acontece a tradicional Festa de Santo Antônio e do Divino Espírito Santo. As atividades iniciam às 7h, com a Aurora Festiva; às 9h30 acontece a missa solene, seguida de procissão pelas ruas da Cidade Alta; e às 12h, grande almoço no Ginásio Paroquial. Às 14h30min tem reunião dançante com Nilmar Show.
Já no dia 13 de junho, dia do Padroeiro do município e feriado em Santo Antônio, acontecerão missas, a partir das 10 horas, no Parque da Guarda, e às 15h e 19h30min, na Igreja Matriz. 
O bingão da Festa acontece na sexta-feira, dia 15 de junho.
Também participou do encontro a Secretária Municipal de Cultura e Turismo Eliana Cunha.

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 14 DE MAIO

14/05/1998:  Com 49 anos de idade, morre em Caxias do Sul, o cantor César Passarinho, um dos nomes mais brilhantes do nativismo gaúcho.  Era também conhecido como o cantor símbolo da Califórnia da Canção Nativa, da cidade de Uruguaiana.   Naquele festival, ele conquistou quatro Calhandras de Ouro, troféu máximo oferecido pelo certame, e mais sete prêmios de Melhor Intérprete, consolidando-se como mais destacado dos vencedores da Califórnia. 
Mas sua trajetória vitoriosa não se resumia à Califórnia.  Foi brilhante também em outros festivais, tendo vencido diversos deles e conquistados outros tantos troféus como intérprete. 

Sua forma peculiar de cantar, eternizou clássicos da música regional gaúcha, tais como Negro da Gaita, Guri, Romanceiro da Erva Mate, Negro de 35, e muitos outros.
    
O músico das milongas começou a carreira musical como baterista de um conjunto de baile de Uruguaiana.   Descobriu a música regionalista em 1973, quando interpretou, na 3ª Califórnia, a música Último Grito.  De lá, até a sua morte foram sete discos gravados e uma trajetória recheada de sucessos.

O apelido Passarinho é uma referência ao pai, que tinha a alcunha de gurrião (pardal). O filho do pássaro se transformou em Passarinho, cujo vôo alcançou os pontos mais altos do cenário musical rio-grandense. 

César Osmar Rodrigues Escoto, nasceu em Uruguaiana, no dia 21/03/1949.  Estaria hoje com 69 anos.