quinta-feira, 30 de agosto de 2018

ANDRÉ TEIXEIRA APRESENTA O CD "DO MEU RINCÃO"


Ao mesmo tempo em que saúdo com alegria mais este trabalho lançado pelo talentosíssimo cantor e compositor André Teixeira,  cuja amizade muito me honra, compartilho o "release" enviado pela da divulgadora Daiana Silva.


Melodias e poemas que cantam a terra, o universo do campo, os sentimentos do gaúcho, seus usos e costumes.
Do Meu Rincão é o segundo CD solo do cantor, compositor e violonista André Teixeira e foi preparado de forma cuidadosa respeitando a tradição e as raízes da música regional.
O trabalho está sendo lançado de forma independente, reúne 17 composições do artista em parceria com grandes poetas e conta com as participações especiais de Luiz Marenco e de Marcello Caminha.
Natural de São Gabriel (RS), André Teixeira iniciou a sua carreira profissional aos 15 anos e já se apresentou em países como Argentina, Uruguai, Hungria, Eslováquia, Romênia e França.
Para o artista, o novo trabalho é uma reverência ao campo, ao gaúcho e ao seu rincão, o Rio Grande do Sul.  
- “Canto a minha terra porque eu sou cantor deste lugar e esse é o meu designo, meu elemento e minha vida”, explica.

O CD Do Meu Rincão pode ser adquirido nas lojas e também no site de André Teixeira 

Sobre André Teixeira
Venceu alguns dos principais festivais nativistas, incluindo o Reponte da Canção, de São Lourenço do Sul (RS), a Sapecada da Canção Nativa, de Lages (SC), o Ponche Verde da Canção Gaúcha, de Dom Pedrito (RS), a Vigília do Canto Gaúcho, de Cachoeira do Sul (RS), a Tafona da Canção Nativa, de Osório (RS), o Carijo da Canção Gaúcha, de Palmeira das Missões (RS), a Coxilha Nativista, de Cruz Alta (RS) e a Estância da Canção Gaúcha, de São Gabriel (RS).

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

O RIO GRANDE PERDE O MESTRE PAIXÃO CÔRTES

Morreu na tarde desta segunda-feira, 27 de agosto, aos 91 anos de idade, o folclorista, pesquisador, escritor, radialista, agrônomo e grande mestre João Carlos D’Ávila Paixão Cortes. 
Uma perda irreparável para o cenário da tradição gaúcha. 
Paixão Côrtes é um personagem decisivo da cultura gaúcha e do movimento tradicionalista no Rio Grande do Sul, do qual foi um dos formuladores, juntamente com Luiz Carlos Babosa Lessa. Juntos, partiram para a pesquisa de campo, viajando pelo interior, para recuperar traços da cultura do Rio Grande.
Em setembro de 1947, colheu uma centelha do fogo simbólico da pátria e com este gesto acabou criando o que os gaúchos denominaram de Chama Crioula.  Na mesma época, criou, com o apoio de outros jovens estudantes, a 1ª Ronda Crioula, de 07 a 20 de setembro, período de veneração a história e aos costumes do homem rural gaúcho.
Em 1948, ajudou a organizou e fundar o 35CTG e, em 1953, fundou o pioneiro Conjunto Folclórico Tropeiros da Tradição.
Em 1954, serviu de modelo para a estátua do Laçador, obra do escultor Antônio Caringi. O Monumento ao Laçador foi consagrado como símbolo da cidade de Porto Alegre, por eleição popular realizada no ano de 1992.
De 1958 a 1960, Paixão Côrtes proferiu palestras e apresentou-se artisticamente nos mais conceituados espaços culturais da Europa.
De 1960 aos dias de hoje, Paixão Cortes recebeu, no Brasil e no exterior, inúmeras condecorações, prêmios e troféus em reconhecimento a suas atuações em favor do folclore e da cultura regional gaúcha. 
Em 1960, foi convidado por Maurício Sirotsky para apresentar o programa Festança na querência na Rádio Gaúcha, que ficou no ar até 1967
Em 2003, Paixão lançou seu novo manual, com mais danças, derivadas do primeiro, tais como: Valsa da Mão Trocada, Mazurca Marcada, Mazurca Galopeada, Sarna, Graxaim.
Em 2010 foi escolhido patrono da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre.  
João Carlos D'Ávila Paixão Côrtes nasceu em Santana do Livramento, no dia 12 de julho de 1927.

Nota pessoal:  Ainda estão bem vivas na minha memória as diversas visitas de Paixão Côrtes a minha cidade natal Santo Antônio da Patrulha, especialmente daquelas oportunidades em que ele esteve na casa dos meus pais, especialmente para  colher, junto aos meus avós paternos, Vó Tina e Vô Lídio, preciosas informações sobre a coreografia de uma dança muito antiga chamada "Chorosa", que depois publicou num de seus livros.  
Aos mais tarde, servi de assessor pra ele, fotografando outra de suas pesquisas realizadas em Santo Antônio.  Desta feita, estivemos na residência do senhor João Gomes dos Santos, o "Seu Gita", onde Paixão "aprendeu"  e recolheu a coreografia da "Mazurca Marcada", outra  dança antiga muito praticada  nos bailes que aconteciam na região entre Santo Antônio e São Francisco de Paula.
Agradeço a Deus pelo privilégio de ter conhecido e privado da amizade do grande Paixão Côrtes.     

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA COMPLETA 258 ANOS


Monumento ao Padroeiro e aos fundadores Inácio e Margarida
A minha terra natal, Santo Antônio da Patrulha, um dos municípios mais antigos do estado, completará 258 anos de existência na próxima semana.  Parabéns para nós patrulhenses !!

Em 31 de agosto de 1760, o então vilarejo foi elevado à condição de Freguesia, com a inauguração da Capela Curada de Santo Antônio da Guarda Velha de Viamão.    
A data foi instituída como comemorativa pelo atual prefeito Daiçon Maciel da Silva, no ano passado, através da Lei nº 7.952/17.  

Para celebrar a efeméride, alguns eventos estão programados para os próximos dias.
Dia 26/08
8h: Caminho Gaúcho de Santiago (percurso de 19km)
9h: Paróquia da Igreja Matriz - Festa das Comunidades, com missa de abertura da programação dos 258 anos da Capela Curada da Guarda Velha.
12h: Almoço
Dia 27/08
17h30min: Câmara de Vereadores - Sessão Solene, com a presença do Padre Ozeias Vieira dos Santos e dos historiadores Jaime Nestor Müller e Rosa Maria Gil.
Dia 28/08
19h: Igreja Matriz - Missa e abertura da exposição de artes sacras com participação das paróquias Nossa Senhora da Boa Viagem e Santa Teresinha.
Dia 29/08
19h: Igreja Matriz - Terço dos Homens das comunidades Matriz Santo Antônio, Vila Palmeira, Canto dos Guilhermes e Ribeirão.
Dia 30/08
19h: Igreja Matriz - Missa do Preciosíssimo Sangue de Jesus.
Dia 31/08
19h: Igreja Matriz – Missa em homenagem aos 258 anos da Capela Curada.
Exposições:
Até 31/08
Museu Caldas Júnior - Exposição fotográfica – De olho em Santo Antônio III.
De 27 a 31/08
Biblioteca Pública Municipal e Museu Caldas Júnior - Exposição de documentos históricos, livros e fotos alusivas à Capela Curada.

Um pouco mais sobre Santo Antônio da Patrulha:
Santo Antônio da Patrulha, a terra da cachaça, do sonho e da rapadura, também é um dos municípios mais antigos do Rio Grande do Sul. Está entre os quatro primeiros do nosso estado, junto com Porto Alegre, Rio Grande e Rio Pardo.
Colonizado basicamente por açorianos, com o decorrer do tempo passou a ser ocupado também por italianos, alemães e poloneses.


Igreja Matriz
Com 258 anos de história, teve que se reinventar algumas vezes, uma delas, quando a Free Way deixou a cidade à margem do intenso movimento para o litoral norte gaúcho. Por outro lado, com a construção da rodovia RS 474 voltou a ser roteiro para muitos que rumam à Serra.

A quarenta minutos de Porto Alegre e a aproximadamente uma hora das praias e das montanhas, a cidade hoje vive da indústria, do comércio e também da pecuária, mas aprimora atrativos turísticos, diante de suas belas paisagens, arquitetura histórica e, claro, das delícias típicas da gastronomia: o sonho, a rapadura e a cachaça.

Hoje, Santo Antônio da Patrulha recebe peregrinos de diversas partes do Brasil para o Caminho Gaúcho de Santiago. O trajeto de 19 km pelo interior do município foi assim denominado, depois que o Cônsul da Espanha considerou que o solo patrulhense tinha uma réplica de Compostela, em virtude da semelhança com as paisagens do caminho europeu.

Quem conhece ou já ouviu falar da “terra da rapadura”, já deve ter ouvido falar em Moenda da Canção. Um festival de música que também é uma marca e motivo de orgulho para os patrulhenses. Há mais de três décadas, no mês de agosto, músicos de diversas partes do Brasil e agora também de fora do país, sobem ao palco, estimulando muitos patrulhenses a seguirem o caminho da música.

A economia está baseada na indústria metalmecânica, que se fortaleceu em 2011, com a vinda da Multinacional Magna Cosma e da indústria do calçado. Hoje, a conhecida marca Via Uno é de Santo Antônio da Patrulha e o município também tem uma unidade da Picadilly, além de outras que há tempos operam na cidade. A orizicultura e a pecuária também são muito fortes, além do setor do comércio que cresce a cada dia.

Santo Antônio da Patrulha é uma cidade universitária, com Polo Universitário e um campus da Universidade Federal do Rio Grande. Cursos técnicos, de graduação, especialização e mestrado podem ser realizados presencialmente ou a distância, oferecidos por diversas instituições de ensino, tais como Universidade Federal do Rio Grande – FURG, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Universidade Federal de Santa Maria – UFSM e Universidade Federal de Pelotas – UFPEL.

Uma cidade histórica
Antiga Avenida Borges de Medeiros  
As origens desse povoado remontam à própria história do Estado. 
Com a fundação da Colônia de Sacramento, em 1680, cresce o interesse dos colonizadores portugueses em povoar e defender o território meridional do Brasil. Por volta de 1736 é aberta por Cristóvão Pereira de Abreu a Estrada dos Tropeiros. Devido ao contrabando de gado que passava por essa estrada, surgiu um "Registro" ou "Guarda", mais tarde chamada "Patrulha". Essa fiscalizava e cobrava impostos dos rebanhos que passavam por ali e seguiam para Sorocaba/SP e Minas Gerais. Esse aquartelamento é responsável por parte do nome do município, que antes se chamava Guarda Velha de Viamão.

No início de 1743, se estabelece efetivamente na atual sede do município com "roças e casas", Inácio José de Mendonça e Silva, que servia como soldado nessa "Guarda".  Inácio e sua esposa, Margarida Exaltação da Cruz são considerados os fundadores do município, pois resolveram construir em suas terras uma Capela onde hoje localiza-se a Pira da Pátria, na Av. Borges de Medeiros (foto). 
A Capela levara o nome de Santo Antônio e, em volta dessa, começa a surgir um povoado.

Em 1760 foi inaugurada a Capela Curada de Santo Antônio da Guarda Velha de Viamão, e no seu entorno passou a organizar-se uma vida administrativa e social. Neste ano foi elevado a condição de Freguesia, para em 1809 passar a Vila.  Esse núcleo, que atendia todo o Litoral Norte e parte da Serra aos poucos foi crescendo. Em 1809, o imperador do João VI dividiu a província de São Pedro do Rio Grande do Sul em quatro municípios. Ato esta que foi institucionalizado em 03 de abril de 1811, quando foi instalado oficialmente o Município de Santo Antônio da Patrulha, que recebeu essa denominação em função das patrulhas instaladas em seu território, objetivando a cobrança de impostos para a Coroa. Simultaneamente, Rio Grande, Rio Pardo e Porto Alegre, receberam a mesma condição formando assim os quatro municípios mais antigos do Rio Grande do Sul.  
Criados os Municípios estes deveriam ser instaladas as Câmaras de Vereadores que iriam administrar os territórios. No Município de Santo Antônio da Patrulha a Câmara de Vereadores deveria administrar 34.184 km². Da área inicial restaram 1.049 km², o que faz de Santo Antônio da Patrulha a célula-mater dos municípios da região nordeste do Estado do Rio Grande do Sul, do qual descendem setenta e sete municípios.

Na árvore genealógica do Município Mãe, aparecem como seus filhos: Vacaria, Osório, Lagoa Vermelha, São Francisco de Paula, Rolante, Taquara e Caraá. Tantos outros municípios gaúchos engrossam a lista de netos, bisnetos e trinetos de Santo Antônio da Patrulha.

A presença de casais açorianos em Santo Antônio da Patrulha deu-se por volta de 1760 e permitiu a criação do primeiro núcleo de povoamento, que é hoje um centro histórico localizado na Cidade Alta mantendo vivas características arquitetônicas daquela época.

Fonte:  Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal - Jornalista Viviani Silveira

GUITARRA, ALMA E GARGANTA: GURIZADA BUENA!!


Bom dia gauchada. 
Quero de pronto, agradecer a "gurizada" do grupo Guitarra, Alma e Garganta pela excelente participação na gravação do programa Do Litoral à Fronteira, que realizamos na noite de quinta-feira, 23/08.
Além de chimarrearem comigo,os músicos Maurício Sena, Nino Saldanha, Leandro Martins e Vinícius Lima (faltou o baixista Junior Saldanha), tocaram e cantaram, ao vivo, algumas da canções que integram o seu primeiro CD, intitulado Sem Tirar o Pé do Estribo
Por sinal, quem ainda não teve acesso ao disco, que o faça logo, pois é um daqueles trabalhos que não pode faltar no acervo de quem aprecia a boa música regional gaúcha. Da primeira até a última das 11 faixas, só tem coisa boa.  Mas eu tomo a liberdade de destacar a faixa título Sem Tirar o Pé do Estribo (Maximiliano Moraes/Paulo Garcia/Maurício Sena); o rasguido Contra Fogo no Hay Ferro (dos mesmos autores); o valseado Sonho Povoeiro (Paulo Garcia/MaurícioSena); e o excelente chamamé Num Tranco de Volta (Paulo Garcia/Maurício Sena), premiada como Melhor Música da Etapa Local da 1ª Trincheira do Canto Xucro, de Viamão, cuja interpretação possibilitou ao cantor Vinícius Lima, integrante do grupo, a conquista do troféu de Melhor Intérprete daquele festival.

Cada vez que assisto o Guitarra, Alma e Garganta tocar e cantar, reforço a certeza de que o grupo está no caminho certo e que o reconhecimento geral é somente uma questão de tempo.   Além de muito talentosos, os integrantes do grupo são "gente boa" uma barbaridade, daqueles que vale a pena convidar pra uma roda de chimarrão e uma prosa de fundamento.
Foi um privilégio recebe-los no nosso humilde, mas autêntico espaço de veneração à cultura do Rio Grande.

Pra conferir a participação e a qualidade musical do Grupo Guitarra, Alma e Garganta no programa Do Litoral à Fronteira, é só sintonizar a Rádio Bandeirantes AM640 e FM94,9, neste domingo, 26 de agosto, das 6h ás 8h da manhã.
Para ouvir pela internet, é só acessar www.band.com.br/rs e clicar no “distintivo” da emissora.  Pra ouvir pelo celular, é só "baixar" o aplicativo da Band.

O programa Do Litoral à Fronteira tem o fundamental patrocínio do CRECI/RS - Segurança, confiança e profissionalismo.  

Baita abraço e viva a música regional gaúcha!!! 

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

BIOGRAFIA DE BENTO SERÁ LANÇADA NESTA TERÇA


O livro e seu auto
O livro "Bento Gonçalves do Nascimento à Revolução: biografia histórica" será lançado em Porto Alegre, nesta terça-feira, 21 de agosto. 
A obra será apresentada pelo autor, Giovanni Mesquita, que participará de uma mesa de debates sobre o tema. Os debatedores serão: Claudio Knierim, historiador, e Edson Rosa, advogado e assessor de cultura. O público presente poderá participar, através de perguntas e intervenções.

Bento Gonçalves da Silva (1788/1847) foi o principal líder da Revolução Farroupilha. Homenageado em praticamente todos os municípios do Rio Grande do Sul, seu nome batiza ruas, escolas e praças. Estátuas e bustos reproduzem sua imagem em locais públicos. Sua atuação histórica é festejada por uns, criticada por outros. Entretanto, a seu respeito, existiam apenas esboços biográficos. Esta é a primeira biografia histórica. Uma publicação de fôlego, resultado de quatro anos de pesquisa em fontes diversas do Brasil e do exterior.

O livro contextualiza extensivamente o momento histórico em que viveu Bento Gonçalves. Nesse sentido, a obra se torna de grande importância para quem se interessa pela história do Brasil, o processo de independência, a derrubada de D. Pedro I, conflitos do período da Regência, bem como pelos processos que levaram à constituição das repúblicas do Prata e o processo de descolonização da América como um todo. 

O autor, Giovanni Mesquita do Estreito, é historiador, museólogo, professor de história e diretor do Museu Histórico Visconde de São Leopoldo, RS.

Serviço:  
Lançamento do livro "Bento Gonçalves do Nascimento à Revolução: biografia histórica."    
Local: Clube de Cultura -  Rua: Sarmento Leite, 1853 - Bom Fim - Porto Alegre
Data: 21 de agosto 2018
Hora: 19h

Contatos:
Fone:  993460464
www.facebook.com/bentobiografia/


domingo, 19 de agosto de 2018

GRACIAS, ALEX E GRUPO CAVERÁ









No programa Do Litoral à Fronteira deste domingo, 19/08, tive o privilégio de contar com a participação, ao vivo, do acordeonista e cantor Alex Hohenberger, um dos cinco músicos que integram o Grupo Caverá, que tanto sucesso fez nas décadas de 1970 e 1980, sobretudo pelos festivais do Rio Grande do Sul. Os demais integrantes são: Mauro Harff, Cezar Mattos, Rubim Jacoby e Rolf Dreher.
Depois de três décadas afastado do cenário da música nativista, o Caverá retorna em grande estilo, para atuar no espetáculo intitulado "Reencontro", que acontecerá na noite de 30 de agosto, a partir das 21 horas, no palco do Theatro São Pedro, em Porto Alegre.
Questionado sobre a o porquê de reunir os companheiros de Caverá depois de tanto tempo, Alex, em primeira mão e com absoluta exclusividade, revelou a mim e aos ouvintes do programa que a principal razão de produzir o espetáculo, seria o fato de que seus filhos, e dos demais integrantes do Grupo, estarem hoje com idades equivalentes, ou até menores, do que os trinta anos pelos quais eles estão afastados dos palcos. Ou seja, os filhos dos cinco músicos jamais tiveram a oportunidade de assistirem uma apresentação do Grupo Caverá. - "Com este argumento, foi relativamente fácil convencer os outros companheiros a engajarem-se no projeto", diz Alex, que continua: - "Estamos ensaiando desde 2016, readaptando as vozes, desenferrujando os dedos para que tudo sai bonito no dia 30. E os ensaios seguirão com maior frequência neste dias que antecedem a apresentação.
Entre um chimarrão e outro, Alex não confirmou se a volta do Caverá será permanente, mas salientou que este tema será tratado com a atenção necessária nas próximos reuniões que haverão de promover.
Ao final, Alex Hohenberger autografou os dois LPs que eu levei comigo, um dele mesmo, chamado "Nativismo Puro", e o outro do Grupo Caverá, intitulado "Encontro", uma raridade que nem mesmo o Alex possui.
Só me resta agradecer ao Alex pela honrosa presença no programa, ao mesmo tempo em que desejo sorte e sucesso a todos os integrantes do Caverá.
Dia 30, estarei no Theatro São Pedro para aplaudi-los.

sábado, 11 de agosto de 2018

ATRAÇÕES DESTE SÁBADO - 11 DE AGOSTO


A noite deste sábado, 11 de agosto, oferece boas atrações de cultura gaúcha para o público de Porto Alegre e da Região Metropolitana.

No CTG Setembrina dos Farrapos, situado à rua São Gabriel, 415, Bairro Jardim Krahe, em Viamão, o excelente grupo musical Guitarra, Alma e Garganta apresenta o seu primeiro CD, intituladoSem Tirar o Pé do Estribo”, num grande jantar baile, com início previsto para as 20horas. Vale a pena conferir.

No galpão do CTG Aldeia dos Anjos, situado na Rua Adolfo Inácio Barcelos, 1553, Centro da cidade de Gravataí, o consagrado gaiteiro Beto Caetano lança o CD” “Um Gaitaço Brasileiro”, o 40º disco deste que é um dos mais respeitados acordeonistas do Rio Grande do Sul.  O Jantar Baile inicia as 21 horas, com show de Beto Caetano e grupo.  Haverá ainda a participação especial do cantor Dante Ledesma e a animação do grupo Vozes Campeiras.  


Aqui, na Capital dos Gaúchos, a minha recomendação é para a 7ª Tertúlia Maçônica da Poesia Crioula, festival promovido pelo Piquete Fraternidade Gaúcha, vinculado a Maçonaria do Rio Grande do Sul.   Liderada pelo meu “irmão” Léo Ribeiro de Souza, a mostra de poema inéditos, contará com as participações de poetas, declamadores e amadrinhadores de grande relevância no cenário na poesia e da arte regional gaúcha.  Além das dez poesias participantes, o público poderá apreciar o espetáculo do cantor uruguaianense Jaime Ribeiro.  



Por último, na minha terra, Santo Antônio da Patrulha, prossegue hoje e amanhã, a 32ª Moenda da Canção e 8ª Moenda Instrumental. Os dois festivais de músicas inéditas formam um grande acontecimento que mobiliza o Rio Grande do Sul e o Brasil, por apresentar características de um certame aberto a todos os estilos e tendências musicais. Além das músicas concorrentes, haverá, neste sábado, o espetáculo do competente cantor Ita Cunha. O evento acontece no parque Caetano Tedesco, bem no centro da cidade, com entrada franca.  

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

TEM FEIRA DO LIVRO EM SANTO ANTÔNIO



A partir desta quarta-feira, 08, até o dia 12 de agosto, o meu torrão natal, Santo Antônio da Patrulha, realiza sua Feira do Livro. 
Na 8ª edição do evento, muitas atrações estão programadas pelas secretarias municipais da Educação e da Cultura, Turismo e Esportes. 

A programação da Feira inicia às 14h, com o Baile da Melhor Idade, seguido de apresentações artísticas e esquete teatral. 
Muitos outros momentos também estão previstos para esses dias de feira, tais como sessão de autógrafos, contação de histórias, atividades lúdico-pedagógicas, shows musicais e parque de diversões. 
As delícias gastronômicas de Santo Antônio da Patrulha, que são conhecidas de todos os gaúchos, como o sonho e a rapadura também poderão ser saboreadas no evento.


Os escritores homenageados da 8ª Feira são: Pablo Morenno e João Ferreira da Luz, e a Escritora Homenageada desta edição da feira é Regina Barcellos. Morenno irá fazer a interação com os estudantes, seus livros estão sendo trabalhados pelos alunos nas escolas e o encontro entre o autor com seus leitores já está sendo muito esperado.
A programação artística do parque conta ainda com as seguintes atrações: 
Dia 09 de agosto, às 20h30min, Cássio Farias. No dia 10, às 19h, o público poderá conferir o show “Filhos da Moenda”. No sábado, as atrações musicais se apresentam mais cedo, a partir das 17h, com a banda Estação 3, seguido do show de Diego Riuz e Banda. No dia 12 de agosto, domingo, às 16h30min, a Feira terá a música do grupo Vanerô e às 18h30, a animação ficará por conta de Raffa Batista e Banda.
No mesmo período, será realizado a 2ª edição do Feirão da ACISAP, que traz muitas ofertas do comércio patrulhense para o Centro de Cultura e Esportes Caetano Tedesco. 
No final de semana, de 10 a 12/08, também acontece a 32ª Moenda da Canção e a 8ª Moenda Instrumental. Além das músicas concorrentes da Moenda, o Ginásio dos Esportes recebe os shows “O dom,  a voz, e emoção”, com Márcia Freitas e banda (10), “Do Interior”, com Ita Cunha e banda (11) e “Tributo a Teixeirinha”, com Teixeirinha Filho, Teixeirinha Neto e convidados (12).