sexta-feira, 29 de junho de 2018

EM AGOSTO TEM FEIRA DO LIVRO EM SAP



Na quarta-feira, 27/06, foi lançada oficialmente a 8ª edição da Feira do Livro de Santo Antônio da Patrulha, programada para  o período de 8 a 12 de agosto, mesma época em que acontece a 32ª Moenda da Canção. Os dois eventos completam-se, formando um grande acontecimento que valoriza a cultura e busca incentivar a leitura nos patrulhenses.

Ana Clara Maciel, presidente do Grêmio Literário Patrulhense, foi convidada a ser a Patrona da Feira 2018. Também foram revelados os escritores homenageados: Pablo Moreno e João Ferreira da Luz, bem como a Escritora Homenageada desta edição da feira, Regina Barcellos. 
A cerimônia de anúncio dos nomes, contou com as participações do prefeito Daiçon Maciel da Silva, do vice-prefeito, José Ferreira da Luz, da secretária da Cultura, Turismo e Esportes, Eliana Cunha e do Patrono da Feira do Livro 2017, Hermógenes Silveira.

A secretária da Educação, Dalva Provenzi de Carli, disse que a escolha dos nomes está ligada com a importância que eles têm para o fortalecimento da literatura patrulhense. 

A patrona Ana Clara recebeu a notícia com surpresa, mas com muita alegria. Ela agradeceu o reconhecimento e disse que se empenhará para que uma linda Feira aconteça.

O prefeito, emocionado, falou de sua realização em ver a continuidade da Feira do Livro, iniciada no seu mandato anterior como prefeito. Disse que a escolha da patrona e dos homenageadas foi muito acertada e reforçou a importância do trabalho realizado pelo Grêmio Literário Patrulhense no município. Lembrou ainda dos Incentivadores de Leitura, da rede municipal de ensino que despertam nos alunos, desde bem pequenos o gosto pela leitura.

Na ocasião, a secretária Dalva Provenzi de Carli entregou os kits com obras literárias para todas as escolas municipais e professoras da EMEI Fatia do Sol promoveram o momento cultural “Emília conhece novos valores”.

Promovido pela prefeitura, através das secretarias da Educação e da Cultura, Turismo e Esportes a Feira do Livro 2018  acontecerá no Parque Caetano Tedesco em conjunto com o Feira de Liquidação de Inverno da ACISAP.

terça-feira, 26 de junho de 2018

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 26 DE JUNHO

26/06/1942:   Nascia o cantor, compositor e produtor musical Jorge Missioneiro
Natural de Bossoroca, ele radicou-se nos últimos vinte anos na cidade de Tapes.   Produziu e gravou dezenas de discos e é autor de várias músicas conhecidas do grande público, dentre as quais se destaca o grande sucesso “Nego Bom Não Se Mistura”, interpretado pelo seu parceiro musical, Crioulo dos Pampas.   
Era figura constante nos rodeios crioulos, particularmente nos concursos de trova e de poesia.
Jorge Missioneiro faleceu no dia 27/02/2016,  aos 73 anos de idade, em decorrência de problemas cardíacos.


domingo, 24 de junho de 2018

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 24 DE JUNHO


24/06/2015:  Morria em Porto Alegre, aos 80 anos de idade, o poeta, comunicador e tradicionalista Antônio Augusto Fagundes, o Nico Fagundes.    
Ele também foi advogado, antropólogo, professor, escritor, folclorista, ator e comunicador de rádio e TV.  
Apresentou por 30 anos o programa Galpão Crioulo, na RBS TV, e comandava o programa Galpão do Nativismo na Rádio Gaúcha.     
Escreveu dezenas de livros sobre poesia, folclore e história do Rio Grande do Sul.  No ambiente da música, é autor de sucessos como Canto Alegretense e Origens.  
Em 2012, foi aclamado em livro, pelo escritor Renato Mendonça, como um dos pilares da tradição gaúcha.
Antônio Augusto da Silva Fagundes, o Nico Fagundes.  nasceu no dia 04 de novembro de 1934, no Alegrete.


24/06/2015:  Falecia em Uruguaiana, o cantor e compositor Sérgio Gomes, o "Xucro". Ele tinha 66 anos de idade e foi vitimado por uma pancreatite, 
Sergio Gomes, iniciou sua carreira artística em meados da década de 60, participando de programas da Rádio Charrua de Uruguaiana, como integrante da dupla Fronteira e Fronteirinha.   
No palco da Charrua ele conheceu e se aproximou de grandes nomes da música gaúcha como José Mendes, os Três Xirus, Gildo de Freitas, Teixeirinha e tantos outros. Sérgio Gomes vinha participando de alguns festivais nativistas formando parcerias com os compositores Armando Vasques, Silvio Genro e João Quintana Vieira. 
Gravou vários LPs e CDs.

quinta-feira, 21 de junho de 2018

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 22 DE JUNHO


Darcy Fagundes ao microfone, em 1960.
22/06/1984:  Morre em Porto Alegre,  aos 59 anos de idade, o poeta, declamador, ator e radialista Darcy Fagundes, o Vaqueano do Rádio, como ele se auto intitulava.   
Darcy notabilizou-se por apresentar o programa Grande Rodeio, durante 15 anos na Rádio Farroupilha. Inicialmente, tinha como parceiro, o já consagrado Paixão Cortes. Mais tarde dividiu a apresentação do programa com o poeta Dimas Costa e, por último com o poeta, cantor e compositor, Luiz Menezes.  
Apresentou também o programa "Invernada Gaúcha", na TVE e o programa “Madrugada Gaúcha”, na Rádio Gaúcha.   
Em 1968 lançou o LP Tropa Amarga, que trazia poemas de grandes autores gaúchos.   
Darcy Fagundes nasceu em 15 de dezembro de 1925, em Uruguaiana.

Atualmente, tramita na Assembleia Legislativa do Estado, um projeto de lei de autoria da deputada Regina Becker, que visa estabelecer o dia 15 de Dezembro, data de nascimento de Darcy Fagundes, como o Dia do Declamador Gaúcho.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

GRACIAS ODILON !!

Nestes dias de angústia que tenho vivido, causados pela total ausência da minha voz, um gesto fraterno e solidário tornou-se motivo de enorme satisfação para este humilde comunicador. Ainda mais, vindo de uma pessoa que é uma das minhas referências no ambiente radiofônico gaúcho: meu conterrâneo, meu amigo, meu irmão Odilon Ramos.
Mesmo com a agenda lotada pelas inúmeras atividades que desenvolve, mestre Odilon teve a gentileza/grandeza de oferecer uma parcela de seu precioso tempo, colocando-se a disposição para uma eventual parceria visando a condução do programa Do Litoral à Fronteira, atração que tenho o privilégio de apresentar, no amanhecer de cada domingo, na Rádio Bandeirantes de Porto Alegre. Esta iniciativa do Odilon não me surpreende, pois o conheço a quase meio século e sei bem de sua índole, de sua compaixão e do seu amor ao próximo.
Acima de tudo, Odilon sempre fui um amigo que, ao longo do tempo, também se mostrou como um exemplo profissional pra mim. Além disso, ele tem um coração maior do que a nossa Santo Antônio da Patrulha. Agradeço a Deus por colocar na minha vida uma pessoa da estirpe de Odilon Ramos. Gracias parceiro. Baita abraço, meu irmão.

terça-feira, 19 de junho de 2018

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 19 DE JUNHO


19/06/1919:  Nasce em Porto Alegre, no bairro Passo da Areia, Leovegildo José de Freitas, conhecido no mundo artístico do Rio Grande do Sul como Gildo de Freitas.  Era compositor, mas se notabilizou como exímio repentista, sendo considerado até hoje como o Rei dos Trovadores.    Participava, e era a grande atração, do Grande Rodeio Coringa, programa de rádio da década de 60.  
Gravou seu primeiro long play em 1963. Depois disso foram mais 14 discos ao longo da carreira.   
Rivalizava em popularidade com o também saudoso Teixeirinha.     Por ironia do destino, faleceu no dia 04 de dezembro de 1983, mesmo dia em que Teixeirinha também faleceu, dois anos mais tarde. 
Em sua homenagem,  o dia 4 de dezembro passou a ser considerado como o Dia do Poeta Repentista Gaúcho, através da Lei nº 8.814/89, de iniciativa do então deputado estadual Joaquim Monks. 




19/06/1923:  Ocorreu um dos principais conflitos da Revolução de 23, o Combate da Ponte do Rio Ibirapuitã, na cidade de Alegrete.  
Honório Lemes e seus comandados Maragatos

De um lado os Maragatos, comandados pelo General Honório Lemes, o Leão do Caverá, á frente do 2º Corpo do Exército Libertador.  De outro lado os Chimangos, comandados pelo então Coronel Flores da Cunha, à frente da “Brigada do Oeste”. Entre seus subordinados estava o alegretense tenente-coronel Osvaldo Aranha. 
Nesta batalha foram empregados em torno de 1.500 homens por exército, mas a logística superior das tropas governista, foi decisiva. 
Desgastada pelas muitas horas de luta, a tropa Maragata optou por abrigar-se na Serra do Caverá, terreno por demais conhecido por Lemes. Depois do combate, os Chimangos do Coronel Flores da Cunha, continuaram a perseguição aos já judiados maragatos do General Honório Lemes.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

MORRE TALO PEREYRA


Morreu, na tarde desta segunda-feira, o cantor e compositor argentino/gaúcho Talo Pereyra.
Ele tinha 67 anos de idade e vivia em Porto Alegre, desde março de 1976, quando aqui chegou, refugiado, poucos dias depois do golpe militar que levou o general Jorge Rafael Videla ao comando de uma das mais recentes ditaduras argentinas.  
Seu primeiro amigo músico no Rio Grande do Sul foi o saudoso José Cláudio Machado, com quem passou a tocar e cantar no 35 CTG, até 1980. Em seguida, integrou o grupo Os Tropeiros do Ibirapuitã, em parceria com os cantores Leopoldo Rassier e José Cláudio Machado. Criou também, com seu conterrâneo Martin Coplas, o grupo Cantares.
Nos anos seguintes, Talo se tornou um respeitado, premiado e aplaudido músico no Rio Grande do sul, compondo e interpretando sua próprias obras e canções do repertório de sul americanos consagrados, como o argentino Atahualpa Yupanqui, os chilenos Violeta Parra e Victor Jara e o uruguaio Alfredo Zitarrosa.
Mais tarde, formou parcerias com o poeta e pajador Jayme Caetano Braun, com o cantor e compositor Cenair Maicá, ambos já falecidos, e há 39 anos com o poeta Robson Barenho.   Também musicou obras de poetas como Aparício Silva Rillo, José César Matesich, José Hilário Retamozo, Mauro Moraes, Vaine Darde entre outros.
Participou ativamente dos festivais nativistas do Rio Grande do Sul, vencendo os principais deles, inclusive a 6ª Califórnia da Canção Nativa, com a música “Leão do Caverá”, parceria com o poeta Gilberto Carvalho, interpretada por Leopoldo Rassier.
Considerado um dos grandes nomes da música regional gaúcha e sul americana, em 2018, Talo completou 52 anos de uma carreira marcante no nativismo gaúcho.  Suas canções venceram 40 festivais nativistas ao longo deste período.
Natural de La Plata, na Argentina, Raul Eduardo Pereyra, o Talo,  nasceu em 23/09/1951

sexta-feira, 8 de junho de 2018

TRIBUTO A MERCEDES SOSA COM TATIÉLI BUENO


No Sarau do Solar, dia 20 de junho, às 18h30, na Sala José Lewgoy do Solar dos Câmara da ALRS, a cantora Tatiéli Bueno apresenta "Tributo a Mercedes Sosa". O espetáculo traz no repertório, grandes clássicos da cantora argentina como: "Duerme Negrito", "Volever a los 17", "Gracias a la vida" e "Solo le pido a Dios".

Tatiéli Bueno iniciou sua carreira profissional como cantora em 2007. Desde então, participa de diversos eventos culturais e registros musicais com grandes nomes da música do Rio Grande do Sul.  Também se dedica à interpretação da música latino-americana, investe na performance buscando os atributos essenciais da personagem, com interpretação das composições na língua original - espanhol -  e na caracterização com elementos que recordam a cantora argentina, que ficou conhecida também como a "voz da América Latina".

Tributo a Mercedes Sosa deixa belas recordações e um público cativo e entusiasmado por onde passa.


SERVIÇO
Sarau do Solar apresenta "Tributo a Mercedes Sosa", com Tatiéli Bueno
Sala José Lewgoy do Solar dos Câmara da ALRS
Rua Duque de Caxias, 968, Centro - Porto Alegre
Dia 20 de junho - 18h30
Entrada gratuita
Informações: (51) 3210-2934 ou
www.al.rs.gov.br/dc