terça-feira, 26 de abril de 2016

HERANÇA MISSIONEIRA PRECISA DE AJUDA

Casa da cantora Letusa Moraes, após o tornado
                                                                                                                                     
Carro da família de Letusa foi  totalmente danificado. 
Gauchada amiga. 
Todos sabem da ocorrência de um tornado na cidade de São Miguel das Missões, fato este que, além de trazer medo, angustia e sofrimento, deixou um rastro de destruição pra gente daquele rincão missioneiro. Dentre tantas vítimas, está a jovem Letusa Moraes, acordeonista, violonista e cantora do grupo musical Herança Missioneira formado basicamente por integrantes femininas.  Conheço o grupo, sei do talento de cada uma de suas integrantes e reconheço o esforço que fazem para alcançar um lugar de destaque no cenário da música regional gaúcha.   


E é justamente da página do grupo Herança Missioneira, no Facebook, que eu reproduzo o apelo abaixo:

APELO URGENTE A TODOS OS AMIGOS E FÃS DO GRUPO HERANÇA MISSIONEIRA
Infelizmente, com a passagem de um tornado em São Miguel das Missões, a violonista, vocalista e gaiteira de gaita de botão do grupo Herança Missioneira (LETUSA GOMES DE MORAES) e sua família, perderam toda sua casa, muitos móveis, carro, e o caminhão e caminhonete de trabalho do pai dela ficaram bastante danificados. Graças a Deus a família está salva e encontra-se bem apesar do trauma. No entanto, viemos a público pedir materiais de construção ou auxílio financeiro para a reconstrução de uma nova morada para a família. Roupas estão sendo lavadas e não há necessidade.
Sala de ensaios do grupo, após o tronado.

Toda ajuda, por pequena que seja, será bem-vinda e bem recompensada a todos por Deus. 

Nome: Ernane Marlei de Moraes (pai da Letusa)

Banco: Sicredi

AG: 307 – São Miguel das Missões 

CC: 02236-9
CPF: 376.353.100-97



Quem puder colaborar, por favor, não se acanhe.


segunda-feira, 25 de abril de 2016

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 25 DE ABRIL

Confiram os acontecimentos importantes deste dia 25 de abril, nos ambientes da arte, da cultura e da história do Rio Grande do Sul.

25/04/1961: Morre em Porto Alegre, o advogado e político antimonarquista gaúcho, Antônio Augusto Borges de Medeiros
Filiou-se ao Partido Republicano e se estabeleceu em Cachoeira do Sul, onde, ao lado de Júlio de Castilhos, desenvolveu intensa campanha republicana. Foi eleito deputado ao congresso constituinte (1891) e governador (1898). Governou o Rio Grande do Sul, com algumas interrupções, de 1899 a 1928).
Durante quatro mandatos como governador do estado, organizou o Superior Tribunal de Justiça do estado, de quem foi um dos primeiros desembargadores. Criou também a Faculdade de Direito de Porto Alegre. Durante seu quarto e último período de governo, iniciou-se um conflito armado com a oposição chefiada por Assis Brasil, a Aliança Libertadora, que terminou com a assinatura do Acordo de Pedras Altas (1923), que proibia a reeleição do presidente do estado. Em 1934, foi novamente eleito deputado à Assembleia Constituinte.    Figura de grande carisma e popularidade, Borges de Medeiros serviu de inspiração para a obra "Antônio Chimango", escrita por seu primo e adversário político, Ramiro Barcelos, sob o pseudônimo de Amaro Juvenal.
Borges de Medeiros nasceu em Caçapava do Sul, no dia 19/11/1863.

25/04/2011:  Aos 52 anos de idade, morre em Porto Alegre, o cantor e compositor Rui Biriva, um dos artistas mais populares e carismáticos do Rio Grande do Sul.
Sua primeira participação num festival nativista foi na 4ª Seara da Canção, em Carazinho, no ano de 1984, defendendo a música intitulada Birivas (Gilberto Carvalho/Airton Pimentel).  A composição vence a linha Galponeira do festival e Rui conquista o prêmio de melhor intérprete do evento.  A partir daí, com o sucesso da música, adotou a alcunha de Biriva.  O público começou a associar o nome da composição com o cantor, assim Rui deixou aos poucos, o sobrenome “da Silva Leonhardt” ser trocado por Biriva.
No ano seguinte, Rui Biriva retorna à Seara para apresentar a música Santa Helena da Serra, parceria dele com José Luis Vilela. A música vence o festival. 
Com mais este êxito, Biriva grava seu primeiro disco, em 1986.
Entre os maiores sucessos da carreira de Rui Biriva, destaque para: Tchê Loco, Santa Helena da Serra, Birivas, Festança, Pé na Estrada, Amigo, Vamo Pegá, Castelhana , Quebrando Tudo, Canção do Amigo, Das Bandas de Horizontina e Tonto de Saudade.
Recebeu Disco de Ouro pela vendagem de 50.000 cópias do CD “Na Estrada do Sul”.
Depois disto lançou o CD “Cancha Reta”, pela gravadora Vertical.
Na condição de comunicador, atuava na Rádio Rural e também na TVE, onde apresentava o programa  Paralelo Sul.
Rui Biriva nasceu em Horizontina, no dia 28 de outubro de 1958.

domingo, 24 de abril de 2016

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 24 DE ABRIL


24/04/1948:  Data da fundação do 35 CTG, em Porto Alegre.
Logo após a criação da Ronda Crioula pelo Grupo dos Oito, que tinha Paixão Cortes como líder, este mesmo grupo de jovens estudantes do interior do estado, mais outros tantos na mesma condição, passaram a reunir-se com o propósito de criar uma entidade que objetivasse preservar as tradições rio-grandenses.
Depois de resolvidas as divergências iniciais, o grupo definiu como data de criação da entidade, o dia 24 de abril de 1948.  O nome da entidade seria 35 CTG, em homenagem ao ano de 1835, início da Revolução Farroupilha.
Entre os fundadores do 35, estão nomes importantes como Luís Carlos Barbosa Lessa, Glaucus Saraiva,  Wilmar Wink de Souza, Cyro Dutra Ferreira, João Carlos Dávila Paixão Cortes, Zeno Cardoso Nunes, entre outros não menos significativos.
A época da fundação, foram designados:
Como Patrão de Honra: Paixão Cortes
Primeiro patrão (fase provisória):  Glaucus Saraiva
O primeiro patrão oficial: Antônio Cândido da Silva Neto, de Dom Pedrito
Em 1956, Antônio Augusto Fagundes assumiu as rédeas do "35", sendo assim o seu patrão mais jovem, com apenas 21 anos de idade.
Desde então, ao longo destes 68 anos de existência, o 35 CTG tem sido importante, não só pelo pioneirismo, mas por mostrar um modelo de organização que serviu de parâmetro para o surgimento de milhares de outras entidades tradicionalistas que existem atualmente no mundo todo.
O lema do 35CTG é:  Em Qualquer Chão, Sempre Gaúcho



24/04/2004:  Dia do Churrasco e do Chimarrão.
Instituído pela lei 11.929, de 20 de junho de 2003, de autoria do deputado Giovani Cherini, o Dia do Churrasco e do Chimarrão.

A data, 24 de abril,  foi sugerida pelo MTG – Movimento Tradicionalista Gaúcho, porque neste dia, 24/04/1948, era fundado o 35 CTG, o pioneiro dos Centros de Tradição Gaúcha.
Na mesma lei ficou instituído também o Churrasco como “Prato Típico” e o Chimarrão como “Bebida Símbolo” do Estado do Rio Grande do Sul.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - JOSÉ MENDES - 77 ANOS

Nunca é tarde para lembrar de uma data importante para o universo artístico e cultural do Rio Grande do Sul.


Em 20/04/1939, nasce em Esmeralda, então distrito do município de Vacaria, o cantor e compositor gaúcho José Mendes Guimarães, ou simplesmente JOSÉ MENDES.
Reconhecido como um dos mais importantes artistas do Rio Grande do Sul, gravou diversos discos, sendo o de maior sucesso o compacto simples lançado em 1967, no qual estavam registradas as músicas "Para Pedro" e "Mensagem de Saudade". O disco, com apenas estas duas faixas, foi um fenômeno de vendagem, ultrapassando a marca de um milhão de cópias comercializadas. 
Além de cantor e compositor, José Mendes foi ator de cinema, tendo produzido e estrelado três filmes:  Pára Pedro,  Não Aperta Aparício, A Morte Não Marca Tempo.
Faria 77 anos de idade em 2016, não tivesse sua vida ceifada num trágico acidente de trânsito, ocorrido na BR 471, município de Rio Grande, no dia 15 de fevereiro de 1974.
Em 2004, seus restos mortais foram transladados de Porto Alegre para o Memorial José Mendes, instalado junto a Capela Santa Terezinha, localizada entre os municípios de Esmeralda e Pinhal da Serra, região serrana do Rio Grande do Sul.
Em breve e bem sucedida carreira, José Mendes deixou sua obra registrada em um Compacto e oito LPs, a saber:
Passeando de Pago em Pago – 1962
(quando ainda usava o nome artístico de “Gaúcho Seresteiro”)
José Mendes - 1967 (Compacto)
Pá... ra Pedro – 1967   
Não Aperta, Aparício -1968
Andarengo – 1969
José Mendes - Mocinho do Cinema Gaúcho – 1970
Gauchadas – 1971
Isto é Integração – 1973
Adeus Pampa Querido (póstumo)  - 1974

quarta-feira, 13 de abril de 2016

RODA DE CHIMARRÃO VIRTUAL - ‪#‎vempromate‬‪ #‎pelapazmundial‬

O desafio virtual #vempromate #pelapazmundial realiza sua segunda edição de 16 a 24 de abril. A iniciativa tem por objetivo comemorar o Dia do Chimarrão, dia 24 de abril, em seus aspectos de amizade e hospitalidade.
Na prática, o internauta publica uma foto mateando, com as hashtags  #vempromate #pelapazmundial na mídia social de sua escolha, e chama seus amigos a se juntarem à roda virtual de chimarrão. No ano passado o desafio teve mais de 15 mil participantes, a grande maioria do Rio Grande do Sul, mas também do exterior, onde as iniciativas foram capitaneadas principalmente pelos Centros de Tradição Gaúcha.

Os organizadores são o Movimento Tradicionalista Gaúcho, Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, Instituto Escola do Chimarrão, Comissão Gaúcha de Folclore e Estância da Poesia Crioula.

Inclusive quero agradecer a jornalista Sandra Veroneze pelo privilégio de poder falar um pouco sobre a minha ligação com os festivais nativistas, em entrevista publicada no site do desafio.
Para conferir, basta clicar em http://www.vempromateoficial.com.br