segunda-feira, 11 de julho de 2016

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 12 DE JULHO

12/07/1927:  Nasce em Santana do Livramento, João Carlos D’Ávila Paixão Cortes. Folclorista, pesquisador, escritor, radialista e agrônomo.
Aos 89 anos, Paixão Côrtes continua sendo um personagem decisivo para a cultura e para o tradicionalismo do Rio Grande do Sul do qual foi um dos formuladores, juntamente com Luiz Carlos Barbosa Lessa e Glaucus Saraiva.   Juntos, Paixão e Lessa, partiram para a pesquisa de campo, viajando pelo interior do Rio Grande, recuperando traços da cultura e do folclore gaúcho. Esta iniciativa trouxe ao conhecimento de todos, diversos gêneros musicais e várias danças como Chimarrita-Balão, Pézinho, Maçanico, Balaio, Cana Verde, Quero-Mana, Tirana do Lenço, Rilo, Chote Carreirinha, Tatu, Chula, entre outras. Estas mesmas danças que são apresentadas até hoje pelos CTGs de todo Brasil.   Em 1948, Paixão liderou a fundação do 35 CTG, a primeira entidade tradicionalista do estado, e em  1953, fundou o pioneiro Conjunto Folclórico Tropeiros da Tradição.  Em 1954, serve de modelo para a estátua do Laçador, criação do escultor Antônio Caringi, obra que foi escolhida como símbolo da cidade de Porto Alegre, em plebiscito realizado no ano de 1992.  Em1958, Paixão Côrtes apresentou-se na França, no Olympiá e noutros espaços culturais importantes de Paris. No mesmo começou a apresentar o programa Festança na Querência na  Rádio Gaúcha.   Em 1962, recebeu o prêmio de Melhor Realização Folclórica Nacional. Em1964, apresentou-se em Munique, Alemanha. No mesmo ano, recebeu o prêmio de Melhor Cantor Masculino de Folclore do Brasil.  Em 1986, ficou 30 dias na Inglaterra, divulgando seus livros traduzidos para o inglês.  Em2003 lançou novo manual, com mais algumas danças como: Valsa da Mão Trocada, Mazurca Marcada, Mazurca Galopeada, Sarna, Graxaim.   Em 2010 foi Patrono da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre.  Estes são alguns, poucos, tópicos que traduzem a vida e a representatividade de Paixão Cortes para a arte, para o folclore, para a tradição e para a cultura do Rio Grande do Sul.

Parabéns mestre Paixão Cortes!!!!

Que permaneças conosco por muito tempo ainda.
O Rio Grande precisa de ti e de teus ensinamentos.