segunda-feira, 30 de julho de 2018

O PRIMEIRO CD DO "GUITARRA"...

Sou admirador do trabalho do grupo Guitarra, Alma e Garganta e por este motivo, faço questão de me associar a divulgação do show de lançamento do seu primeiro CD intitulado “Sem Tirar o Pé do Estribo”.    A festa acontecerá no dia 11 de agosto de 2018, a partir das oito e meia da noite, no CTG Setembrina dos Farrapos, em Viamão, cidade onde nasceu o grupo.
Na ocasião, será oferecido um jantar, seguido do espetáculo do Guitarra e, logo após, baile animado pelo grupo Barbicacho.  
Presenças confirmadas do produtor do CD, Marcio Rosado, dos compositores Paulo Dias Garcia, Leonardo Quadros, Vinícius Peixoto e Maximiliano Alves de Moraes, que cederam canções para o disco, do acordeonista Fabiano Torres e dos cantores Cristiano Fantinel e Marcelo Oliveira, artistas renomados no cenário da música regional gaúcha, com participações especiais no CD. 
A formação atual do Guitarra Alma e Garganta tem os instrumentistas, cantores e compositores Júnior Saldanha, Leandro Martins, Maurício Sena, Nino Saldanha e Vinícius Lima. 


O Grupo:
Originário de Viamão, o Guitarra teve origem em 2011, com Nino Saldanha, Maurício Sena e Leonardo Quadros. Também já atuaram no grupo outros músicos como Paulo Jacques, Djonatan dos Reis e Cassiano Santos. Num primeiro momento o grupo visava o resgate das músicas mais antigas dos festivais nativistas do RS. As inovações de arranjos vocais também foram e continuam sendo marcas do grupo. Do mesmo modo, a preocupação de mostrar ao público um trabalho de cordas, com violões e contrabaixo, tendo sempre a sensibilidade de transmitir com “alma” a música nativa e o intuito de registrar obras que procedam do encontro musical do grupo.  Destes encontros resultaram inúmeras canções inéditas que circularam e forma premiadas, em diversos festivais do nosso estado, tais como: O Rio Grande Canta o Cooperativismo, Aldeia da Canção Gaúcha, Acampamento da Arte Gaúcha, Gauderiada da Canção, Canto Campeiro, Femuvi, Eta em Canto, Salina da Canção, Cambona da Canção, Reculutando a Potrada, Canto Farroupilha, Vigília do Canto Gaúcho, Canto do Charão, Poncho Verde da Canção Gaúcha, Joãozinho da Ponte, Coxilha Nativista entre outros.
Além de atuar nos festivais nativistas o grupo Guitarra Alma e Garganta também faz shows e apresentações a exemplo do Outubro Rosa em Balneário Pinhal, show de recepção da Seleção do Equador na Copa do Mundo de 2014 juntamente com o cantor Paulo Garcia, Festa Arroz com Leite em Viamão, show do Festival Ibiamom  da Canção, Boteco Tchê e outros.
No mês de Setembro, em meio às comemorações Farroupilhas, quando as apresentações são mais frequentes, o grupo divide-se e vai às escolas contribuir com palestras e atividades culturais. Assim agindo, compromete-se e colabora para que a chama gaúcha que vem no DNA de nossas crianças, mantenha-se acesa.
Em 2014 o grupo amadurece a ideia de produzir um CD para registrar as músicas que surgiam e consolidariam parcerias já identificadas com o trabalho do grupo. 
Os trabalhos de produção e arranjo do CD, ficaram a cargo do talentoso músico, produtor, compositor e arranjador Marcio Rosado. Além dele, somaram-se ao Guitarra, confiando suas obras e emprestando seus talentos, os compositores Paulo Dias Garcia, Maximiliano Alves de Moraes e Vinícius Peixoto, os cantores Cristiano Fantinel e Marcelo Oliveira e o gaiteiro Fabiano Torres.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

EFEMÉRIDES - 23 DE JULHO


Morre em Montevideo, capital do Uruguai, o advogado, fazendeiro e político, Gaspar Silveira Martins.
Destacou-se como um dos líderes dos Maragatos na Revolução Federalista, ocorrida de 1893 a 1895.  Foi também conselheiro do Imperador Dom Pedro II, depois, deputado provincial, deputado geral, senador e presidente da província do Rio Grande do Sul. 
Adepto dos gestos largos e dono de uma voz grave e tonitruante, era conhecido como o orador máximo do Império Brasileiro. Por esta razão ganhou a alcunha de Espada de Fogo. 
É de sua autoria a frase “Ideias não são metais que se fundem”.   
Casou-se por quatro vezes e todas as suas mulheres chamavam-se “Adelaide”.
Gaspar Silveira Martins, nasceu em 05/08/1835, no Departamento de Cerro Largo, Uruguai.  Tinha dupla cidadania por ser filho de pais brasileiros.

sexta-feira, 20 de julho de 2018

JULIANO GOMES APRESENTA: "PROSCRITO"

Na última quarta-feira, 18 de julho, foi apresentado ao grande público o CD Proscrito, segundo álbum do cantor e compositor gaúcho Juliano Gomes.


O disco foi lançado “on line”, e já está disponível em todas as principais plataformas digitais.  A comercialização do CD físico será realizada em breve pela Minuano Discos

Com direção musical do músico Quinto Oliveira e do próprio Juliano Gomes, Proscrito traz 12 faixas, todas de autoria de Juliano em parceria com poetas consagrados como Evair Suarez Gomez, Sergio Carvalho Pereira, Adriano Alves, Guilherme Collares e Zeca Alves.

O disco conta ainda com as participações especiais de músicos como Marcelo Oliveira,  Daniel Zanotelli, Fernando Leitzke, entre outros.


Proscrito é o primeiro trabalho em que Juliano Gomes interpreta suas próprias canções.
O repertório do Disco:
1. Proscrito (Guilherme Collares/Juliano Gomes);


2. Primitivo  (Evair Suarez Gomez/Juliano Gomes);
3. Picador   (Evair Suarez Gomez/Juliano Gomes);
4. Banhado (Adriano Silva Alves/Juliano Gomes);
5. Tu Nem Sabe, Chinoquita... (Evair Suarez Gomez/Juliano Gomes);
6. Menina, Escuta O Teu Cantor (Sérgio Carvalho Pereira/Juliano Gomes);
7. Vestidito Amarillo  (Evair Suarez Gomez/Juliano Gomes);
8. Mirada Bruja    (Evair Suarez Gomez/Juliano Gomes);
9. Poema De Adeus   (Evair Suarez Gomez/Juliano Gomes);
10. Quem Diria...  (Evair Suarez Gomez/Juliano Gomes);
11. Benzido    (Adriano Silva Alves/Juliano Gomes);
12. Morri...?    (Zeca Alves/Juliano Gomes).


Nota do blog:
Através de Proscrito, Juliano Gomes revela seu talento como cantor. Mas é importante ressaltar sua enorme capacidade de criar melodias inimagináveis. Tanto é verdade que ele tem se destacado neste quesito em quase todos os festivais de música que integram o calendário nativistas da região sul.  Não é à toa que foi o “Melhor Melodista” dos últimos três anos, na promoção Destaques dos Festivais, realizada pelo blog Ronda dos Festivais em parceria com o programa Do Litoral à Fronteira.
Juliano Gomes é um baita melodista e agora também se mostra como um cantor de fundamento.  Escutem e comprovem.


terça-feira, 17 de julho de 2018

MARTIM CÉSAR LANÇA "SANGRADOURO" NA CAPITAL

O escritor, poeta e músico Martim César Gonçalves, estará na capital gaúcha no próximo dia 02 de agosto para o lançamento do livro Sangradouro, da Editora Movimento. A sessão de autógrafos será realizada a partir das 18h, na Livraria Letras&Cia do Shopping Paseo e contará com apresentação de artistas convidados como os músicos, Marco Aurélio Vasconcellos, Chico Saratt, Náufragos Urbanos e Marcello Caminha
O mais novo livro de contos de Martim César - Sangradouro - traz como pano de fundo a história do Rio Grande do Sul, o imaginário fronteiriço e o tempo das charqueadas. A publicação, que conta com comentários dos jornalistas Juremir Machado da Silva e Juarez Fonseca, é uma edição ampliada de ‘Sob a luz de velas’, porém, com textos mais trabalhados e algumas variações. O autor busca retratar um pouco do lugar híbrido e mestiço em que habita; essa região de intersecção cultural, com suas singularidades e com seu pano de fundo mítico e histórico.
Dois afluentes de sangue correm nas páginas: aquele que tem a nascente no tempo de muitas guerras, no vai e vem da fronteira, na miscigenação forçada, no terrível extermínio indígena e na infame escravidão negra; e aquele que tem origem nas charqueadas, no caudal de sangue que saía dos corpos dos animais abatidos diariamente e que manchava de púrpura as águas do rio. A terra sangrava, com sangue de homens e animais, correndo pelo rio.       


SOBRE O AUTOR
Martim César nasceu em Jaguarão, RS. É autor de seis livros de poesia e contos. Vencedor por duas vezes do prêmio Rua dos Cataventos da Sociedade Mario Quintana de Poesia; Vencedor de mais de 30 festivais de músicas do RS e de mais de 10 festivais nacionais. Possui algo em torno de 70 premiações paralelas, incluindo melhor poesia, melhor letra e melhor tema social em diversos festivais gaúchos e nacionais. Indicado ao prêmio Açorianos 2010, como melhor letrista do RS. Coautor de 11 trabalhos discográficos ‘Caminhos de Si’;Maria Conceição canta Martim César e Paulo Timm’;Canções de a(r)mar e desa(r)mar (MPB)’;Da mesma raiz’ (indicado ao açorianos de 2010) ‘Já se vieram’; ‘Memorial de Campo’; ‘Paisagem interior’, (com três indicações no Açorianos 2015), ‘Náufragos Urbanos’ (Indicado a melhor álbum de MPB do RS, pelo Açorianos 2015), os atuais ‘Caminhos de Si, o tempo’,  ‘Canciones que nacen del camino’ e ‘Doze Cantos Ibéricos e uma canção brasileira’ (vencedor do Açorianos 2017 nas categorias melhor álbum regional e melhor design gráfico). Atualmente está lançando o livro Sangradouro (contos) e possui em fase de publicação o livro  Gaúchos, a epopeia dos párias. (Poema épico). Além disso, está com dois CDs em fase de gravação: Além das cercas de pedra e Náufragos Urbanos 2 – Relógios de Areia.





SERVIÇO:
Lançamento do Livro “Sangradouro”, de Mártim César
Data: 02/08/2018
Horário: 18h
Local: Livraria Letras&Cia do Shopping Paseo
Endereço: Av. Wenceslau Escobar, 1823 – Bairro: Tristeza
Informações:  patricia@ihnovecomunicacao.com/ 
Telefones: (51) 981815664
Entrada franca

quinta-feira, 12 de julho de 2018

EFEMÉRIDES - 12 DE JULHO

Neste dia 12 de julho, dois expoentes do tradicionalismo gaúcho completam 91 anos de idade e merecem nossas homenagens:  PAIXÃO CORTES  e  ZENO DIAS CHAVES.
A eles, um caloroso abraço e o nosso reconhecimento por tudo que fizeram (e continuam fazendo) pela cultura do Rio Grande. 

12.07.1927:   Nasce na Fazenda Cerro Colorado, distrito de Seival, interior do município de Caçapava do Sul, o tradicionalista Zeno Dias Chaves
Ele iniciou no tradicionalismo em 1949, ao ser informado do que Paixão Cortes e Barbosa Lessa estavam fazendo.  
Em Caçapava do Sul, é sócio fundador do CTG Sentinela dos Cerros, onde foi patrão, diretor cultural e artístico e membro de outras patronagens por várias vezes. Também é sócio fundador de diversas entidades tradicionalistas no estado.   Integrou o Conselho Diretor do MTG e foi Coordenador da 18ª RT nos anos de 1980/1981.   
De 1987 a 1989, foi Presidente do MTG.   Participou da maioria dos Congressos Tradicionalistas já realizados.   Como escritor, Zeno Dias Chaves possui uma dezena de livros escritos. Foi patrono da 10ª Feira do Livro de Caçapava do Sul, no ano 2000. Como palestrante, ministra cursos e palestras sobre História e Tradição para alunos de escolas públicas do seu município. 
Criou a Comissão do Projeto do Rio Camaquã. 
Em 2016, foi homenageado ao ser o Patrono dos Festejos Farroupilhas do RS.




12/07/1927: Nasce em Santana do Livramento, João Carlos D’Ávila Paixão Cortes. Folclorista, pesquisador, escritor, radialista e agrônomo.   
Paixão Côrtes é um personagem decisivo da cultura gaúcha e do movimento tradicionalista no Rio Grande do Sul, do qual foi um dos formuladores, juntamente com Luiz Carlos Babosa Lessa. Juntos, partiram para a pesquisa de campo, viajando pelo interior, para recuperar traços da cultura do Rio Grande.
Em setembro de 1947, colheu uma centelha do fogo simbólico da pátria e com este gesto acabou gerando o que os gaúchos denominaram de Chama Crioula.   Na mesma época, com outros jovens estudantes, criou a 1ª Ronda Crioula.
Em 1948, ajudou a organizar e fundar o 35 CTG e, em 1953, o Conjunto Folclórico Tropeiros da Tradição.
Em 1954, serviu de modelo para a estátua do Laçador, obra do escultor Antônio Caringi. 
O monumento ao Laçador foi consagrado "Símbolo da cidade de Porto Alegre", por eleição popular realizada no ano de 1992.
De 1958 a 1960, Paixão Côrtes proferiu palestras e apresentou-se artisticamente nos mais conceituados espaços culturais da Europa.
Em 1960, foi convidado por Maurício Sirotsky para apresentar o programa Festança na querência na Rádio Gaúcha, que ficou no ar até 1967.
Da década de sessenta aos dias de hoje, Paixão recebeu, no Brasil e no exterior, inúmeras condecorações, prêmios e troféus em reconhecimento a suas atuações em favor do folclore e da cultura regional gaúcha.

Em 2003, Paixão lançou seu novo manual, com mais danças derivadas do primeiro. Por exemplo, Valsa da Mão TrocadaMazurca Marcada, Mazurca Galopeada, Sarna e Graxaim.
Em 2010 foi escolhido patrono da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre. 
É um dos  Pilares da Tradição, de acordo com o livro do escritor Renato Mendonça.

quarta-feira, 11 de julho de 2018

EFEMERIDES - 11 DE JULHO


11/07/1997:  Morre em Porto Alegre, aos 71 anos de idade, o poeta, folclorista e comunicador de rádio e TV, Dimas Costa.
Era conhecido no meio artístico pela alcunha de Xiru Divertido.   
Tinha cerca de 15 livros de poesia publicados e notabilizou-se por ser o primeiro poeta e compor versos para serem recitados por crianças.   
Dimas foi apresentador de programas de rádio e televisão, tendo iniciado carreira na década de cinquenta, na Rádio Farroupilha, emissora onde comandou os programas Festança na Querência (em parceria com Paixão Cortes), Céu e Campo, Entardecer na Querência, Pelos Caminhos do Pago e Alma do Rio Grande (também com Paixão Cortes).   Atuou também como ator em filmes produzidos por Teixeirinha e José Mendes. 
Destacou-se igualmente como compositor, tendo parceria com diversos artistas de renome, dentre os quais José Mendes.  É autor, juntamente com Eleu Salvador, do conhecidíssimo Parabéns Crioulo, saudação indispensável nas comemorações de aniversário dos gaúchos.
Dimas Nogues Costa nasceu em Bagé, no dia 20/01/1926.





11/07/1847:  Nasce em Porto Alegre a escritora Luciana de Abreu.   
Ela foi a primeira mulher a ingressar numa sociedade literária, o Partenon Literário, e primeira mulher a subir à tribuna para expor ideias sobre a emancipação feminina.   
Vitimada por uma tuberculose, Luciana de Abreu, faleceu com 33 anos de idade, em Porto Alegre, no dia 13/06/1880.
O escritor Dante de Laytano, reuniu suas obras e as publicou em três volumes, como título de "Preleções".

segunda-feira, 9 de julho de 2018

EFEMÉRIDES - 09 DE JULHO

09/07/1797:  Nasce, no povoado do Sumidouro, no Arraial do Tijuco, hoje, Diamantina (MG), o jornalista, militar e político Domingos José de Almeida.  
Aquerenciou-se em Pelotas onde era fazendeirose proprietário de grandes charqueadas.    
Foi um dos que financiou o início da Revolução Farroupilha e organizou o parque bélico dos Farroupilhas.   
Ajudou a convencer o General Antônio de Souza Neto a proclamar a República Rio-grandense, em 11/09/1836.  
Mais tarde foi nomeado Ministro da Fazenda da Republica Rio-grandense. 
Em 1840, determina a criação de um novo povoado, que viria a ser, a partir de fevereiro de 1843, o município de Uruguaiana.





09/07/1935:  Nascia em San Miguel do Tucumán, Argentina, a cantora Mercedes Sosa.
Sua carreira se iniciou em 1950, aos quinze anos de idade, quando ganhou um contrato para cantar em uma emissora de rádio da sua cidade natal, após vencer uma competição de canto organizada por aquela emissora.  
Em 1961 lança seu primeiro disco, intitulado “La Voz de La Zafra”. Depois, vieram vários discos. 
A sua música tem raízes na música folclórica argentina. Ela se tornou uma das expoentes do movimento conhecido como Nueva Canción.  
Apelidada de La Negra pelos fãs, devido à ascendência ameríndia, ficou conhecida como a "voz dos sem voz".
Haydeé Mercedes Sosa faleceu em 04/10/2009, aos 74 anos de idade,  em Buenos Aires. 




09/07/1943:   Nasce na cidade de Catuípe/RS, o cantor e compositor Carlos Catuípe.
Andejou pelo Brasil mostrando sua arte e seu talento, mas, na década de setenta, fixou residência na cidade de Osório onde casou-se com a cantora Cléa Gomes, com quem teve os filhos Catuípe Jr. e Melina. 
Ele foi um dos responsáveis pela propagação da cultura musical litorânea e afro açoriana, notadamente do gênero musical “maçambique”, tendo mais de 200 obras neste ritmo, compostas, principalmente, em parceria com o letrista Ivo Ladislau. 
Participou e foi vencedor de inúmeros festivais de música. 
Carlos da Silva “Catuípe” morreu no dia 03 de janeiro de 2013, em Porto Alegre.



09/07/1973:  Morre no Rio de Janeiro, o radialista, acordeonista, cantor e compositor Pedro Raymundo. 
Nascido Santa Catarina, ele veio pra Porto Alegre em 1929, quando passou a trabalhar como motorneiro nos bondes da Carris. Nas horas de folga, tocava acordeon e cantava nos bares do Mercado Público.  
Dez anos mais tarde já apresentava um programa na Rádio Farroupilha.   
No rastro do sucesso do célebre xote de sua autoria, "Adeus Mariana", lançado em 1943, Pedro Raymundo mudou-se para o Rio de Janeiro, para trabalhar na Rádio Nacional, onde ficou conhecido como o gaúcho alegre do rádio.   
Por se apresentar sempre "pilchado", vestindo a indumentária típica do gaúcho, acabou inspirando o "Rei do Baião" Luiz Gonzaga a também apresentar-se trajando gibão, chapéu de couro e sandália, peças da roupagem característica dos vaqueiros nordestinos.   
Pedro Raymundo nasceu em Imarui/SC, no dia 29/06/1906.

quarta-feira, 4 de julho de 2018

EDILBERTO BERGAMO - PROVINCIANO



"Eu sou Provinciano".     Este é o nome da música de trabalho do novo disco do gaiteiro e cantor Edilberto Bérgamo.  A música tem letra de Gujo Teixeira e a melodia é uma parceria de Edilberto com André Teixeira!  

“Eu Sou Provinciano” faz parte do CD “Coração de Cordeona”, um trabalho que será lançado ainda este ano, para comemorar os 30 anos de carreira do gaiteiro.  O disco traz músicas inéditas - instrumentais e cantadas.  
Edilberto Bérgamo retorna a carreira solo, agora como gaiteiro e cantador, como gosta de ser chamado:

- “Canto as coisas do pago, com meu jeito simples, puro e verdadeiro”.  

A música “Eu Sou Provinciano” será lançada nesta quinta-feira, 5 de julho, nas principais plataformas digitais!  

Vale a pena conferir.