sábado, 26 de janeiro de 2013

VEM AÍ A 25ª FECARS


A Festa Campeira do Rio Grande do Sul, em sua 25ª edição, acontecerá em Campo Bom, no Parque do Trabalhador, de 14 a 17 de março de 2013. Paralelo, estará sendo realizado, no sábado, o 26º Seminário Estadual de Prendas e Peões e, no domingo, o 14º Seminário da Cultura Campeira.
Haverá nesta festa campeira uma sessão especial de cinema, com o filme “Contos gauchescos”, contando com a presença de Henrique de Freitas Lima, Diretor do filme para um debate ao final. O anúncio foi feito durante o Congresso, em Santa Maria, para instrumentalizar prendas e peões sobre o tema dos festejos farroupilhas deste ano.
Informações da Festa Campeira
Presidente: Marcos Alfredo Riegel 51 - 3598-8600
Vice-Presidente: Fernando Bilhalva 51 - 9989-3767
Secretário:  Gilnei dos Santos Brizola 51 - 8128-0840
Tesoureiro: Nestor Ludwig   51 - 8455-0118
Coordenador: Carlos Moser  51 – 9261-3820

26º SEMINÁRIO ESTADUAL DE PRENDAS E PEÕES
TEMA: LITERATURA RIO-GRANDENSE
DIA 16 de março
PROGRAMAÇÃO:
09 horas - Credenciamento
10 horas - Palestra: LITERATURA RIO-GRANDENSE
14 horas - GINCANA CULTURAL - Coordenação: Prendas estaduais
16 horas - Orientações sobre 44º Ciranda Cultural de Prendas
18 horas - Documentário; Causos de Simões Lopes Neto
19h30 -  Entrega de Certificados

14º SEMINÁRIO DE CULTURA CAMPEIRA
TEMA: PELAGENS DE CAVALOS
DIA 17 de março
PROGRAMAÇÂO:
08h30-Credenciamento
09h-Palestra: Identificação de pelagens de cavalos
Palestrante: Sérgio de Andrade
10h-Oficinas/Provas de Galpão
Oficineiros: Lairton dos Santos, Peões e Guris Estaduais
11h45-Orientações sobre o 25º Entrevero Cultural de Peões
12h30-Entrega de Certificados

A história da Festa Campeira do RS
De 1983 a 1987 foram diversas as tentativa de regulamentar um evento campeiro de nível estadual, até que Frontelmo Alves Machado, hoje Conselheiro Benemérito do MTG, apresentou proposta, em fevereiro de 1987, para o Presidente do MTG, Zeno Dias Chaves, com um esboço de regulamento para uma festa campeira estadual.
A iniciativa, segundo seu idealizador, teria como objetivos: unir os gaúchos campeiros em um evento para confraternizar e apurar os campeões estaduais, nas diversas modalidades campeiras já realizadas nos rodeios. O Presidente convidou homens com conhecimentos campeiros, como José Theodoro Bellaguarda de Menezes, João Francisco Rodrigues de Andrade, Oraci Louzada Abreu, Wilson Freitas e Cyro Dutra Ferreira. Formada a comissão que, em três dias de trabalho, elaborou o regulamento. Posteriormente, os membros da comissão percorreram o Estado recolhendo detalhes de usos e costumes, contando com a colaboração de muitos tradicionalistas e dos coordenadores regionais.
A proposta final foi apresentada na 26a Convenção Extraordinária, realizada de 11 a 13 de dezembro de 1987 em Júlio de Castilhos, por Frontelmo Alves Machado, Wilson Freitas e Cyro Dutra Ferreira. No dia 11 de dezembro foi aprovado o anteprojeto com o nome "Festa Crioula do Rio Grande do Sul", e, em seguida, modificado para "Festa Campeira do Rio Grande do Sul - FECARS" e marcada a primeira edição para março de 1989.
Já o esporte entrou mais tarde, com a proposta de Mário Roberto Machado, defendida por Frontelmo Alves Machado com parecer favorável de Cyro Dutra Ferreira, aprovada na 32ª Convenção, em julho de 1991, que incluiu no regulamento da FECARS o torneio de truco. O início do esporte na FECARS aconteceu na 4ª Edição da Festa Campeira, em São Sepé, no ano de 1992.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

ESCOLA DE SAMBA REPRESENTA URUGUAIANA EM COSQUÍN


A Escola de Samba Bambas da Alegria representou o município de Uruguaiana no maior festival de folclore da América do Sul, realizado na cidade de Cosquín, na Argentina.
A participação dos sambistas uruguaianenses iniciou no sábado, 19 de janeiro, com a apresentação de 37 integrantes da Bambas, que retornou no dia seguinte como atração principal do evento.
O convite aos sambistas foi formulado pelo representante de Cosquín no Brasil, o médico-veterinário Júlio Machado da Silva Filho. 

Este fato causou um certo desconforto em parcela considerável da população da cidade de Uruguaiana, notabilizada como criadora e realizadora da Califórnia da Canção Nativa e, por extensão, reconhecida como berço do nativismo gaúcho. 
Não sou chegado a alimentar polêmicas, mas gosto de ouvir, e quando necessário emitir, opiniões sobre os acontecimentos, notadamente aqueles que dizem respeito a cultura e ao folclore.
Portanto fiquem a vontade para comentar, criticar, elogiar, enfim... opinar.



Fontes: A Tribuna de Uruguaina / Jaime Ribeiro
Foto: A A Tribuna de Uruguaiana



sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

A REPERCUSSÃO CONTINUA

Mais um veículo de comunicação repercute "Os Melhores dos Festivais". 
Desta feita é o site Caderno 7, de São Gabriel, ao qual agradeço pelo espaço e pelas citações elogiosas ao meu trabalho.
Confiram no link http://www.caderno7.com/2013/01/e-um-gabrielense-e-o-melhor-cantor-dos.html

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

XXIX FEOVELHA LANÇADA NA CAPITAL



Participei, na manhã desta quarta-feira, do lançamento oficial da XXIX Feovelha - Feira e Festa Estadual da  Ovelha, um dos mais importantes eventos de ovinocultura da América do Sul. O ato de apresentação da Feira aconteceu na sede da Farsul, em Porto Alegre e contou com as presenças de diversas autoridades ligadas ao agronegócio, representantes da Farsul, das Soberanas da Festa e integrantes da imprensa de todo o estado.
Logo após a solenidade, foi servido um fantástico almoço, com muita carne de ovelha, é claro.
Promovida pelo Sindicato Rural de Pinheiro Machado, com o apoio da Prefeitura Municipal, a XXIX Feovelha acontece de 23 a 27 de janeiro de 2013, no Parque Charrua, naquele município.
Na programação da Feira estão ainda outros eventos paralelos, tais como XII Mostra da Indústria e Comércio, XIII Vinovelha, XXIV Feira do Artesanato em Lã e o festival XXVI Comparsa da Canção.





terça-feira, 15 de janeiro de 2013

REPERCUSSÃO DO TRABALHO


O  levantamento/pesquisa 

"Os Melhores dos Festivais" que elaboramos e divulgamos no inicio do mês de janeiro, mais uma vez, a exemplo de anos anteriores, ganha importante repercussão em jornais, sites e blogs de diversas localizações. 

Faço questão de registrar meu especial agradecimento aos jornais "19 de Julho", de Encruzilhada do Sul; "A Tribuna Regional" de Santo Ângelo; ao site "G1.Globo.com", na coluna Repórter Farroupilha, do grande jornalista Giovani Grizotti; ao "Blog do Léo Ribeiro", administrado pelo próprio poeta serrano; ao site "Cantadores do Litoral", do maestro Paulo de Campos;  ao "Bahstidores.com" da blogueira Clarissa Moura; e a todos os amigos e amigas que compartilharam nas redes sociais e emitiram comentários elogiosos ao nosso trabalho.

Gracias a todos.


sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

BAITA CONVITE


Sinto-me honrado e agradecido com o baita convite para participar da gravação do 3º DVD e do 13º CD do Grupo Chiquito & Bordoneio, da cidade de Erechim.  O evento acontece no dia 23 de janeiro, a partir das 20h30min, no CTG Sentinela da Querência.
Comemorando 18 anos de carreira, o grupo pretende fazer uma viagem no tempo, homenageando a gaita e os precursores da música regional gaúcha. Participações especiais de Adelar Bertussi, Porca Véia, Os Monarcas, Os Mirins, João Luiz Corrêa, Os Serranos, Os 3 Xirus,  Garotos de Ouro, Os Nativos e Gaúcho da Fronteira.
Eu, é claro que estarei lá, cumprimentando os integrantes do Grupo, revendo amigos e abraçando meu amigo Paulo Fogaça.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

MORRE O POETA BIRATUCHO


Reproduzo nota publicada pelo jornal Zero Hora, sobre o falecimento do poeta e compositor Ubirajara Raffo Constant, conhecido no meio cultural e nativista como Biratucho. No final da nota eu publico o seu principal poema "Retorno Bravo", um dos mais interpretados pelos grandes declamadores riograndenses. 

Morreu na noite desta quarta-feira, em Uruguaiana, o poeta, escritor e radialista Ubirajara Rafo Constant'. Ele tinha 74 anos e foi vítima de insuficiência respiratória.
Uruguaianense, o poeta deixa uma importante obra para a cultura do Estado, como a poesia épica Retorno Bravo.
– Retorno Bravo é uma das poesias mais lindas do Rio Grande do Sul – afirma o cantor regionalista Luiz Carlos Borges.
Como compositor, Ubirajara escreveu letras premiadas nas Califórnias da Canção, como Ave Maria Pampeana e Mocito.
Borges descreve Ubirajara como "um grande amigo de Festivais da Barranca, de Califórnias. Uma figura humana maravilhosa e um cara muito inteligente".
O corpo de Ubirajara está sendo velado, na Biblioteca Prado Veppo de Uruguaiana. O enterro ocorre as 15h, no Cemitério Municipal Senhora Santana. O compositor deixa os filhos Felipe e Rafael, frutos de seu casamento com Maria Teresa Moreira.

RETORNO BRAVO
Ubirajara Raffo Constant

Ali da porta do rancho,
Junto de um cusquito nervoso,
Um velho guasca orgulhoso
Olhava o filho partir;
Também desejava ir
Com a mesma disposição,
Levando a lança na mão
Para se unir aos farroupilhas
E pelear sobre as coxilhas
Em defesa do rincão.

Mas, já velho e alquebrado
Perdera a força no braço;
Tinha no lombo o cansaço
Do peso de muitos anos;
Mas era um dos veteranos
Com orgulho do passado
Por ter a lança empunhado
Combatendo os castelhanos.

Que ganas tinha de ir
Aquele velho guerreiro
De novo para um entrevero
Como gaúcho pelear...
Mas ficava a se orgulhar
Que embora velho e cansado
Via o filho já criado
Partindo no seu lugar.

E, ali da porta do rancho,
Cheio de orgulho e pesar
Viu o moço se afastar
Com garbo e disposição;
Montando um flor de alazão,
O laço preso nos tentos,
O poncho soprado ao vento
E a lança firme na mão.

Depois, com a estrada deserta,
A noite se foi chegando;
A pampa foi silenciando
Nas grotas e nos banhados,
E o velho taura cansado
Do catre se foi chegando
Em silêncio memoriando
Entreveros do passado.

Assim a poeira dos dias
Cobriu o catre vazio
Do paisano que partiu
Do rancho para a guerrilha;
Levando na alma caudilha
De guasca continentino
A fibra, a glória e o tino,
De um campeador farroupilha.

Já muitos dias depois
Um chiru trouxe a notícia:
-A farroupilha milícia
Em que teu filho marchou
Peleando se dizimou...
Morreram mas não recuaram...
E entre os bravos que tombaram
Dizem que o moço tombou.

Num sentimento profundo
O velho ficou calado;
Mas no seu rosto enrugado
Não pode a dor esconder;
Deixando livre correr
Do fundo da alma ferida
Uma lágrima sentida
Que ele não pôde conter.

Tristonha caiu a noite
E mais triste a madrugada;
Latia ao longe a cuscada,
Nas frinchas gemia o vento...
E sem dormir um momento,
Ali no catre estirado,
O velho ficou atado
Na soga dos pensamentos.

Lembrava o filho em criança
Correndo a pampa em retoço...
A melena em alvoroço
Soprada ao vento pampeano;
Recordou ano por ano
Até que o piá ficou moço
E ali na porta do rancho
Partiu para a revolução...
Montando um flor de alazão,
O laço preso nos tentos
O poncho soprado ao vento
E a lança firme na mão.

Estava assim recordando
Quando lá fora um gemido
Lhe fez parar o ouvido
E despertou-lhe atenção...
E quando ouviu uma mão,
Naquela hora tão morta,
Forcejar de encontro a porta
Como a querer arromba-la,
Sua visão ficou clara
Voltando-lhe luz e brilho;
E num ímpeto caudilho
A porta abriu com vigor
E estarreceu-se de horror
Ante a figura do filho.

Cambaleante, ensangüentado,
As vestes feitas frangalhos,
O corpo cheio de talhos
Dobrado pelo cansaço,
Já sem força em nenhum braço,
Já sem poder ver direito,
E com o meio do peito
Aberto por um lançaço.

Fitando os olhos do moço
O velho ficou calado;
Estarrecido, espantado,
Vendo-o ali em sua frente;
Então gritou gravemente:
-Meu filho, Por que voltaste?
Por que? Por que não tombaste
Onde tombou nossa gente?

Maldito sejas, covarde!
Tu já não és mais meu filho;
Não tens o sangue caudilho,
Não agüentaste o repucho...
Deixaste teus companheiros,
Fugiste do entrevero,
Tu já não és mais gaúcho.

Então, na face do guasca
Que peleando não tombou
Com um laçaço estampou
A ira do coração,
Prostrando-o rudemente
Com aquele gesto inclemente
Desfalecido no chão.

O moço, sentindo a morte
Roubar-lhe o sopro da vida,
Com a alma triste e ferida,
Ali prostrado no chão,
Sem rancor no coração
Olhou ao pai ao seu lado
E já num último brado
Fez a brava confissão:

-Meu pai, eu não fui covarde,
Honrei meu poncho e minha adaga,
Fiquei coberto de chagas
Mas agüentei o repucho;
Fui valente, fui gaúcho,
Peliei com todo o ardor...
E se aqui vim escondido
Foi para salvar do inimigo
O pavilhão tricolor.

E abrindo a camisa ao peito
Tirou em sangue banhado
Aquele trapo sagrado
Que até o fim defendeu...
Beijando-lhe o estendeu
Ao pai num último esforço,
Depois, curvando o dorso,
O bravo guasca morreu.


domingo, 6 de janeiro de 2013

DESTAQUES DOS FESTIVAIS EM 2012


O ano de 2013 já está aquerenciado, então, está mais do que na hora de divulgarmos o nosso tradicional levantamento que aponta os MELHORES DE 2012 no universo dos festivais nativistas. 
Poetas, compositores, instrumentistas, declamadores, intérpretes, gente buena e talentosa que abrilhantou os palcos do Rio Grande do Sul - e de Santa Catarina – mostrando competência, criatividade, força interpretativa e virtuosismo instrumental.  
Antes de revelarmos os nomes, é preciso mais uma vez deixar claros alguns critérios que nortearam este levantamento:
1. Foram considerados todos os festivais de cunho nativista ou entendidos como tal,  45 de música e 07 de poesia, realizados no RS, em cujos regulamentos estejam previstas mostras de competição, com as obras concorrentes previamente determinadas por triagem, independente de serem consagrados ou iniciantes, com maior ou menor projeção;  
2. Não integram esta estatística os festivais ditos “de barranca”, que adotam o critério de definição de um tema sobre o qual os participantes devem criar suas obras e apresentá-las no dia seguinte.  Também não foram considerados os festivais apenas de interpretação e os “fechados” para convidados, ou ainda aqueles que fogem dos padrões citados no item 1. 
3.  Além dos eventos promovidos no RS, foram levados em consideração mais 02 festivais de música ocorridos no estado de Santa Catarina,  20ª Sapecada da Canção de Lajes, 6ª Ronda da Canção de Lajes, por se tratarem de certames com características semelhantes aos que ocorrem aqui, além de contarem com participações de vários compositores, músicos e intérpretes gaúchos;
4. Novamente o critério para definição dos destaques foi a cumulatividade, ou seja, a soma dos prêmios conquistados em cada modalidade;
5. As categorias ou modalidades foram definidas pelo autor do levantamento, Jairo Reis, num formato de fácil compreensão.

Os MELHORES DO ANO nos Festivais Nativistas de 2012 são os seguintes:


Na modalidade AUTORES COM MAIS VITÓRIAS, com 3 premiações, os melhores são::


Cristian Camargo:  
11º Acampamento, 
20ª Sapecada,
 1ª Semente;  




Rômulo Chaves: 
23º Grito do Nativismo, 
5º Canto Missioneiro, 
Coxilha Negra- Popular;  


Tuny Brum: 
28º Reponte -Livre, 
2º Vozes do Jacuí, 
6º Gruta em Canto.   



Na sequência, com 2 vitórias, vem os compositores Fabio Prates, Gujo Teixeira, Piero Ereno, Rafael Chiapetta, Robledo Martins, Sergio Carvalho Pereira e Volmir Coelho

Entre os AUTORES COM MAIS SEGUNDOS LUGARES, lideram, com 3 premiações, os compositores:
Carlos Omar Villela Gomes (4º César Passarinho, 32ª Coxilha, 2º Moinho) 
Rafael Ferreira (7º Baqueria de Los Piñares, 10ª Sentinela, 4º Canto Farroupilha);  

Com 2 Segundos Lugares vem na sequência: Carlos Madruga, Diego Muller, Duca Duarte, Érlon Péricles, Fábio Prates, Helvio Casalinho, Luciano Maia, Martin Cesar, Matheus Alves, Piero Ereno, Valdir Disconzi, Zulmar Benitez.

Na lista dos AUTORES COM MAIS TERCEIROS LUGARES, oito nomes estão empatados na liderança, com duas conquistas cada um.
Érlon Péricles (1º Canto Campeiro, 9º Galponeira); 
Glademir Escobar (7º Barra em Canto, 2º Urucanto); 
Gujo Teixeira (6ª Ronda, 19ª Estância); 
João Sampaio (15ª Casilha - Nat, 15ª Casilha – Farr);
Máximo Fortes (18ª Seara, 9º Canto dos Ervais); 
Robson Garcia (4º Canto Farroupilha, 1º Semente); 
Rômulo Chaves (7º Baqueria de Los Piñares, 6º Manancial Missioneiro); 
Volmir Coelho (12º Martin Fierro, 27º Ponche Verde).

No rol dos AUTORES COM MAIS TROFÉUS DE MÚSICA MAIS POPULAR, o compositorRafael Ferreira  lidera com 3 prêmios,  conquistados no 8º Cante Uma Canção em Vacaria, 1º Canto Campeiro e 22º Vigília.

Entre os AUTORES COM MAIS PREMIAÇÕES ALUSIVAS A TEMAS EM GERAL,  novamente o compositor Rafael Ferreira lidera com 3 troféus (1º Canto Campeiro, 22ª Vigília, 10ª Sentinela).










Na modalidade MELHOR INTÉRPRETE MASCULINO,  o cantor com maior número de premiações é Jean Kirchoff, com 9 troféusconquistados nos festivais:  4º Cesar Passarinho, 8º Cante Uma Canção em Vacaria, 2º Coruja, 2º vozes do Jacuí, Coxilha Negra –Popular, 22ª Guyanuba, 10ª Sentinela, 19ª Estância, 27º Ponche Verde. 

Mais distante, com 4 troféus, aparece Miguel Marques.

Na categoria MELHOR INTÉRPRETE FEMININA, três cantoras empataram na liderança com 1 conquista cada uma. Coincidentemente seus nomes iniciam com a letra A:  


Alana Moraes (5º Canto Missioneiro);













Adriana Sperandir (26ª Moenda da Canção); 










Analise Severo  (20ª Tertúlia Nativista).











No quesito INTÉRPRETE COM MAIS PRIMEIROS LUGARES, ou seja, aquele que por sua interpretação levou a música ao prêmio máximo do festival,  lidera mais uma vez Jean Kirchoff com  7 premiações conquistadas nos festivais:  2º Coruja, 2º Vozes do Jacuí, Coxilha Negra 2012, 19ª Estância, 6º Gruta em Canto, 20º Tertúlia, 2º Moinho.  

Logo atrás, GUSTAVO TEIXEIRA aparece com 4 vitórias:  4º Cesar Passarinho, 12º Martin Fierro, 32ª Coxilha, 27º Ponche Verde.









Na categoria MELHOR INSTRUMENTISTA, o violinista Douglas Mendes e o acordeonista Mano Junior, empataram na liderança com4 troféus cada um. 

Douglas foi premiado no 5º Canto Missioneiro, 22ª Guyanuba, 9º Canto dos Ervais, 18ª Seara. 






Mano Junior por sua vez levou a premiação 8º Cante Uma Canção em Vacaria, 4º Levante, 4º Expocanto e 6º Seiva da Terra.
















No quesito MELHOR LETRA/POESIA destacaram-se com 3 premiações os poetas:

Rafael Ferreira (8º Baqueria de Los Piñares, 4º Canto Farroupilha, 10ª Sentinela); 














Zeca Alves (4º Levante, 32ª Coxilha, 9º Canto dos Ervais). 

Logo a seguir com 2 premiações vem os letristas Felipe Corso, Gujo Teixeira, Rodrigo Bauer, Rômulo Chaves e Sérgio Carvalho pereira.












Entre os compositores que levaram o prêmio de MELHOR MELODIA, novamente o grande destaque é  Tuny Brum com 3 troféusconquistados nos festivais: 27º Ronda de São Pedro, 6º Gruta em Canto e 27º Ponche Verde.










No que tange aos festivais de poesia, cabe informar que nossos critérios levaram em conta as modalidades normalmente utilizadas nos referidos certames, quais sejam: Poesia, Interpretação, Amadrinhamento.
Nos 7 festivais realizados em 2012, os destaques foram os seguintes:
O POETA COM MAIOR NÚMERO DE VITÓRIAS é:
Carlos Omar Villela Gomes, cujos 3 primeiros lugares foram obtidos na 1ª Invernada da Poesia, no 1º Sinos do Verso Gaúcho  no 14º Pealo da Poesia. 

Em segundo lugar com 2 vitórias vemRodrigo Bauer,  premiado na 5ª Querência da Poesia e no 10º Bivaque;
Entre os AUTORES COM MAIS SEGUNDOS LUGARES, o poeta Zeca Alves lidera com 2 premiações (5º querência  e 10º Bivaque);

No rol dos AUTORES COM MAIS TERCEIROS LUGARES, aparecem empatados com 1 premiação cada, os poetas Ari Pinheiro, Cândido Brasil,Gilberto dos Anjos, Luciano Salerno, Moacir Dávila Severo, Moisés Silveira de Menezes  e Pedro Junior da Fontoura;

Na modalidade de MELHOR INTÉRPRETE/DECLAMADOR igualmente ficaram empatados com 1 premiação cada um, os declamadores:


Liliana Cardoso (17ª Sesmaria), 



















Neiton Peruffo (14º Pealo), 













Pedro Junior da Fontoura (10º Bivaque), 


















Priscila Campeol (1º Sinos do Verso), 









Vinicius Nardi (1ª Invernada) 



















 Zeca Pereira (5º Querência).


















Entre os INTÉRPRETES COM MAIS SEGUNDOS LUGARES liderança praNeiton Peruffo que conquistou 2 troféus na 1ª Invernada e no 1º Sinos do Verso;

Na turma dos que MAIS CONQUISTARAM O PRÊMIO DE TERCEIRO LUGAR empate entre os declamadores Andréa EloiAriel PereiraPaulo Ricardo SantosPedro Junior da Fontoura  e Priscila Colchete, todos com 1 troféu cada.


No elenco dos INTÉRPRETES QUE DEFENDERAM O MAIOR NUMERO DE POEMAS VENCEDORES, quem lidera é Pedro Junior da Fontoura com 3 premiações, alcançadas na  5ª Querência, 10º Bivaque e 1º Seleta do Verso.








Geraldo Trindade.
No quesito MELHOR AMADRINHADOR, empate com 1 premiação para 14 instrumentistas.

Fabio Soares, André Vieira e Cristiano Klein (5º Querência);
Luciano Salerno e João Batista (1ª Invernada);
Cristian Camargo e Ricardo Comasseto (10º Bivaque);
Geraldo Trindade (14º Pealo);
Dênis Magalhaes, Robson Paines eFernando Aguiar (1º Sinos Do Verso)
Henrique Arboite, Pedro Luiz Lemos eFabrício Vargas (17ª Sesmaria);

Entre os AMADRINHADORES COM MAIS SEGUNDOS LUGARES, destaque para Geraldo Trindade com  2 troféus conquistados nos festivais 1ª Invernada e 10º Bivaque.  

Entre os AMADRINHADORES COM MAIS TERCEIROS LUGARES, liderança absoluta para Marcus Morais com 3 troféus obtidos  no 10º Bivaque, no 1º Sinos do Verso e na 17ª Sesmaria.

A MELHOR MÚSICA INSTRUMENTAL, em 2012, foi premiada apenas na 26ª Moenda da Canção.  Naquele festival, destacou-se o autor da música  “ Nas Asas de Luiz Gonzaga”, Henri Lentino que levou também o prêmio de MELHOR INSTRUMENTISTA.

PARABÉNS aos premiados!!  Que as conquistas e o sucesso sejam maiores em 2013.


Nesta segunda-feira, 07 de janeiro, estaremos repercutindo este levantamento no programa RONDA DOS FESTIVAIS, as 18h, na Rádio Rural AM 1120. www.clicrbs.com.br/rural 

Nos próximos dias, publicaremos também os DESTAQUES 2012 NOS FESTIVAIS INFANTO JUVENIS.


Agradecimento muito especial aos autores das fotos utilizadas nesta postagem, cujos nomes não nos foi possível descobrir.

Em caso de utilização  e reprodução destas informações, por favor, faça o devido crédito a autor do presente levantamento, o jornalista e comunicador JAIRO REIS.