sábado, 30 de setembro de 2017

O RIO GRANDE ESTÁ DE LUTO: ADELAR BERTUSSI MORREU


O amanhecer deste sábado, 30 de setembro, traz a triste noticia do falecimento do acordeonista, cantor e compositor Adelar Bertussi, um dos símbolos da tradição e da música regional gaúcha.Ele estava internado num hospital de Curitiba e foi vitimado por insuficiência cardíaca. 
Juntamente com seu irmão Honeyde, dez anos mais velho, Adelar formou, a partir de 1955, a dupla Irmãos Bertussi, responsável pelo surgimento da autêntica música de baile no Rio Grande do Sul.   Os Bertussi foram precursores também, na prática de animar bailes com dueto de cordeonas e pela introdução da bateria como instrumento musical, novidades para uma época em que os fandangos eram animados por trios formados somente por gaita, violão e pandeiro.    Em 1966, Adelar separou-se artisticamente de Honeyde, iniciando carreira solo.  Em 1972, Adelar e Honeyde se reconciliam e gravam o LP “Sangue de Gaúcho”, mais um sucesso na já exitosa carreira dos Irmãos Bertussi.  A dupla separa-se novamente.  Em 1974, Adelar foi eleito vereador de Caxias do Sul.    Mais tarde, criou e participou do conjunto Os Cobras do Teclado, tendo como principal parceiro o também acordeonista Itajaíba Matanna.  Após a morte do irmão Honeyde, ocorrida em 1996, Adelar deu segmento a tradição musical da família através do Conjunto Os Bertussi, na companhia de seu filho, e também acordeonista, Gilney Bertussi.

O conjunto Os Bertussi continua em atividade, animando bailes pelo Brasil inteiro. 
Adelar ainda fazia participações especiais em alguns destes compromissos.
Em 2012, Adelar Bertussi foi homenageado no livro Pilares da Tradição, publicado pelo escritor Renato Mendonça em parceria com o fotógrafo Emílio Pedroso.
Adelar Bertussi Siqueira, nasceu na localidade de São Jorge da Mulada, distrito de Criúva, à época interior do município de São Francisco de Paula, hoje pertencente a Caxias do Sul.
Nota pessoal: 
Tive o privilégio de conhecer pessoalmente o mestre Adelar, ainda na década de 80, num baile animado pelos Cobras do Teclado, no Rodeio Crioulo de Glorinha.  Muito depois, em 2004, tive o privilégio de recebê-lo numa edição do programa Do Litoral à Fronteira, ainda na Rádio Rural, oportunidade em que ele me presenteou com cópias autografadas dos dois primeiros discos dos Irmãos Bertussi, lançados em  1955 e 1956.  Mais tarde, em duas oportunidades distintas, Adelar Bertussi  atuou como jurado em  dois festivais, nos quais eu trabalhei na comissão organizadora, o 14º Ronco do Bugio de São Francisco de Paula e o 1º Laçador da Canto Nativo de Porto Alegre.  Nestas ocasiões pude perceber o  vasto conhecimento  sobre a música regional gaúcha e brasileira, que ele acumulou nas suas pesquisas e no seu andejar artístico.  
Adelar era a história viva da música gaúcha.Que bom que Deus me de deu a  oportunidade de beber desta fonte.
O Rio Grande está de luto.
 

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

PEDRO JUNIOR LANÇA LIVRO E CD


O poeta e declamador Pedro Junior da Fontoura, promove uma grande noite de poesia para apresentar ao grande público seus trabalhos mais recentes: o CD  "100% Autoral" e o livro "Constelação de Fonemas".  
O recital de lançamento e a sessão de autógrafos acontecerão no dia 26  de setembro de 2017,  a partir das 20h, na Fundação Casa das Artes, em Bento Gonçalves.      A entrada será franca.
Em total coerência com seu título, o álbum é composto por 15 poemas, sendo 13 deles de autoria exclusiva de Pedro Junior, e dois em parcerias do mesmo com os poetas Rodrigo Bauer e João Sampaio. 
Além das brilhantes interpretações de Pedro Junior, o disco traz participações especiais de nomes importantes da arte gaúcha, tais como a declamadora Liliana Cardoso, os jovens intérpretes Guilherme Alves e Aline Martins e os consagrados Rafael Ovídio (Cabo Deco), Nilton Ferreira e Lúcio Yanel.    Yanel inclusive, é o responsável pela criação e execução, em seu violão crioulo,  de toda a trilha sonora, especialmente composta e arranjada para o trabalho.
Associado ao excelente repertório, o CD traz um encarte muito bem concebido, no qual estão inseridos os poemas, a ficha técnica e diversas fotos dos artistas em estúdio.   Destaque também para as imagens de capa e contracapa, captadas no Vale dos Vinhedos, pelo fotógrafo Wagner Meneguzzi.

O livro Constelação de Fonemas é composto de 128 paginas enriquecidas pelos poemas da lavra de Pedro Junior, alguns deles em parceria com vates da mesma estirpe  gauchesca e literária. 
Não bastasse a qualidade dos versos, o livro exibe ainda, um conjunto de belíssimas gravuras criadas especialmente para a obra, pelo fantástico ilustrador gaúcho Vasco Machado. 

O CD 100% Autoral e o livro Constelação de Fonemas foram editados graças aos projetos financiados pelo Fundo Municipal de Cultura, mecanismo de incentivo à produção cultural oferecido pela Secretaria de Cultura do município de Bento Gonçalves.








Divulgação: 
jairoreis2@gmail.com

(51) 995.634.303