domingo, 28 de fevereiro de 2016

2º ESTEIO DA POESIA - BAITA FESTIVAL

Zulmar Benitez e Jair Silveira defendem o poema "De Esporas Calçadas", de Caine Garcia.
Mais uma vez, parabéns aos organizadores do Esteio da Poesia, pelo sucesso da 2ª edição, realizada na noite de ontem, 27/02, na Casa de Cultura Lufredina Araújo Gaya, em Esteio.
A começar pelo público, que mais uma vez lotou as dependências do teatro, provando que a poesia gaúcha tem sim uma platéia interessada e fiel. Outros quesitos como atenção aos participantes, capricho na confecção do material impresso, som de qualidade, local adequado e boas condições de trabalho à imprensa, são aspectos que poderiam servir de exemplos positivos para outros festivais, não só de poesia, mas de música também.
Comissão Avaliadora: Vaine, Wilson e Cristiano
Os dez poemas concorrentes, foram muito bem escolhidos pela comissão avaliadora, formada por Cristiano Ferreira, Vaine Darde e Wilson Araujo, que certamente teve dificuldades para definir os melhores.  As interpretações, tanto as masculinas, quanto as femininas, foram emocionantes, e os amadrinhadores, mais uma vez, ofereceram um espetáculo à parte.
Falando em espetáculo, cabe salientar o boa apresentação de abertura da cantora Nélida  Rossi, e a excelente performance do fantástico Grupo Mas Bah, no encerramento da noite.

Pedro Junior da Fontoura
O resultado, de maneira geral, foi adequado e elegeu, merecidamente, como destaque do festival, o poema "De Esporas Calçadas", de autoria do poeta bagéense Caine Garcia. A obra conquistou quatro premiações: 2º Lugar Poesia,  Melhor Trabalho em Palco, 1º Lugar Declamador (Jair Silveira), 1º Lugar Amadrinhador (Zulmar Benitez).

Mas, na minha modesta opinião, com todo o respeito que os jurados, todos meus amigos, fazem por merecer, e sem qualquer demérito aos demais declamadores e declamadoras concorrentes, o nome de Pedro Junior da Fontoura não poderia ficar de fora do rol dos intérpretes premiados. Com talento e competência, ele emocionou a todos interpretando o poema “Não Me Fales do Gaúcho Velho” criado pelo poeta Rodrigo Bauer para homenagear o sempre saudoso Antônio Augusto Fagundes. Os versos conquistaram o 1º Lugar na modalidade Poesia.
No mais,  registro aqui os parabéns a todos os premiados e àqueles quede alguma maneira contribuíram para o sucesso do 2º Esteio da Poesia Gaúcha,em especial aos “batalhadores” Djalma Pacheco e Paulo Vargas, que com dedicação e competência colocam a cada ano um moirão de angico no alambrado “de fundamento” que o Esteio da Poesia está erguendo em defesa da arte e da cultura do Rio Grande do Sul.

Baita abraço e vida longa ao Esteio da Poesia!!

Confere o resultado completo do 2º Esteio da Poesia Gaúcha:

Modalidade POESIA:
Primeiro Lugar: NÃO ME PERGUNTES DO GAÚCHO VELHO
Autor: Rodrigo Bauer
Declamador: Pedro Junior da Fontoura
Amadrinhadores: Mario Tressoldi/Diogo Barcelos
Segundo Lugar: DE ESPORAS CALÇADAS
Autor: Caine Garcia
Declamador: Jair Silveira
Amadrinhador: Zulmar Benitez
Terceiro Lugar:  O LIVRO DO CORAÇÃO
Autor: Mateus Costa
Declamadora: Andréa Elói
Amadrinhador: Vinícius Freitas

Modalidade INTÉRPRETE:
Primeiro Lugar:  JAIR SILVEIRA
Poema: De Esporas Calçadas
Autor: Caine Garcia
Segundo Lugar: NEITON PERUFFO
Poema: Marca e Sinal
Autor: Carlos Omar Villela Gomes
Terceiro Lugar: ROSANA ARAUJO
Poema: Mascate da Esperança
Autora: Joseti Gomes

Modalidade AMADRINHADOR:
Primeiro Lugar:  ZULMAR BENITEZ
Poema: De Esporas Calçadas
Segundo Lugar: HENRIQUE SCHOLZ
Poema: Quando se Vende um Pingo de Arreio
Terceiro Lugar: VINICIUS FREITAS
Poema: Pago Vazio

MELHOR TRABALHO EM PALCO:  DE ESPORAS CALÇADAS
Autor: Caine Garcia
Declamador:  Jair Silveira
Amadrinhador: Zulmar Benitez

sábado, 27 de fevereiro de 2016

MORRE O CANTOR JORGE MISSIONEIRO

Hoje a música regional gaúcha perdeu mais um nome importante e eu perdi um amigo: Jorge Missioneiro.
Cantor, compositor e produtor musical. Natural de Bossoroca, residia há bastante tempo no município de Tapes.
Produziu e gravou dezenas de discos e é autor de várias músicas conhecidas do grande público, dentre as quais se destaca o grande sucesso “Nego Bom Não Se Mistura”, interpretado pelo seu parceiro musical, Crioulo dos Pampas.
Era figura constante nos rodeios crioulos, particularmente nos concursos de trova e de poesia.
Jorge Missioneiro está sendo velado ao longo deste sábado, e será sepultado ao final da tarde, no cemitério da cidade de Cruz Alta.  
Que ele esteja com Deus e que sua família tenha força e fé para superar esta perda irreparável.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 15 DE FEVEREIRO

15/02/1933: Nasce, na localidade de Criúva, à época interior do município de São Francisco de Paula, hoje distrito de Caxias do Sul, o acordeonista, cantor e compositor Adelar Bertussi.
Juntamente com seu irmão Honeyde, dez anos mais velho, formou, a partir de 1955, a dupla Irmãos Bertussi, responsável pelo surgimento da autêntica música de baile no Rio Grande do Sul.  Foram precursores também na prática de animar bailes com dueto de cordeonas e pela introdução da bateria como instrumento musical, novidades para uma época em que os fandangos eram animados por trios formados somente por gaita, violão e pandeiro.
Em 1966, Adelar separou-se artisticamente de Honeyde, iniciando carreira solo.  Em 1972, Adelar e Honeyde se reconciliam e gravam o LP “Sangue de Gaúcho”, mais um sucesso na já exitosa carreira dos Irmãos Bertussi.   A dupla separa-se novamente.  
Em 1974, Adelar foi eleito vereador de Caxias do Sul. Mais tarde, criou e participou do conjunto Os Cobras do Teclado, tendo como principal parceiro o também acordeonista Itajaíba Matanna.  Após a morte do irmão Honeyde, ocorrida em 1996, Adelar deu segmento a tradição musical da família através do Conjunto Os Bertussi, na companhia de seu filho, e também acordeonista, Gilney Bertussi.
Os Bertussi continuam em atividade, animando bailes pelo Brasil inteiro. Adelar ainda faz participações especiais em alguns destes compromissos.
Adelar Bertussi, que está vivo e forte, é referenciado como um símbolo da tradição gaúcha e da música regional brasileira. 
Obrigado ao mestre Adelar Bertussi pela valorosa contribuição à música do Rio Grande.  
E parabéns pelos 83 anos de vida !!!!
--------------------------------------------------------------------------------------------------------


15/02/1974:  Morre o cantor e compositor José Mendes, o popular “Para Pedro”.    Ele gravou oito discos, sendo o de maior sucesso o compacto simples lançado em 1967, no qual estavam registradas as músicas "Pára Pedro" e "Mensagem de Saudade". O disco, com apenas estas duas faixas, vendeu mais de um milhão de cópias. Sucesso total.
Em sua breve e bem sucedida carreira, José Mendes deixou sua obra registrada nos seguintes Long Plays:
Passeando de Pago em Pago – 1962, quando ainda usava o nome artístico de “Gaúcho Seresteiro”;    
Pá... ra Pedro – 1967;  
Não Aperta, Aparício -1968;
Andarengo – 1969; 
Mocinho do Cinema Gaúcho – 1970; 
Gauchadas – 1971;
Isto é Integração – 1973;  
Adeus Pampa Querido (póstumo)  - 1974

Além de cantor e compositor, foi ator de cinema, tendo produzido e estrelado três filmes:   Pára Pedro,  Não Aperta Aparício, A Morte Não Marca Tempo.
José Mendes faleceu em decorrência de um acidente de trânsito na BR-471, município de Rio Grande.  Em 2004, seus restos mortais foram transladados de Porto Alegre para o Memorial José Mendes, instalado junto a Capela Santa Terezinha, localizada entre os municípios de Esmeralda e Pinhal da Serra, na região serrana do Rio Grande do Sul.

José Mendes Guimarães nasceu no dia 20 de abril de 1939, em Esmeralda, então distrito de Lagoa Vermelha.  Completaria 77 anos de idade em 2016.

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 14 DE FEVEREIRO

Um dos momentos que mais desperta o interesse dos ouvintes que prestigiam o programa Do Litoral à Fronteira, que eu apresento aos domingos, das 6h ás 8h da manhã, na Rádio Bandeirantes FM 94.9, é o quadro "Efemérides Rio-grandenses", durante o qual destaco os fatos importantes ocorridos, ao longo do tempo, nos ambientes da arte, da cultura e da história do Rio Grande do Sul.
Na medida do possível, reproduzirei diariamente, também aqui no blogue, as informações veiculadas no referido espaço. Espero que vocês gostem e valorizem este trabalho.

Dia 14 de fevereiro:

Casa que abrigou os Ministérios da República Rio-grandense, em Caçapava.
14/02/1839:  Caçapava do Sul se torna a segunda Capital da República Rio-grandense.   Não tendo conseguido se apoderar de Pelotas e Rio Grande, os farroupilhas sentiram-se ameaçados em Piratini, a primeira Capital, e por isso decidiram transferir a sede da República Rio-grandense para um local mais protegido e estrategicamente posicionado no centro do estado: Caçapava.     Dali, partiram algumas iniciativas importantes da rebelião farroupilha, como por exemplo, a ordem de invadir Laguna, em Santa Catarina e proclamar a república Juliana.  
Caçapava foi capital da República Rio-grandense até 30 de maio de 1840, quando os farroupilhas decidem mudar a sede do seu governo para Alegrete.



14/02/1895: Nasce em Uruguaiana, o escritor e poeta Alceu Wamosy.
Poeta simbolista, Alceu Wamosy escreveu poemas cheios de desencanto, em uma produção que se destacou no sul do país e que tornou-se uma das obras mais significativas do Simbolismo brasileiro. Seu soneto “Duas Almas” é considerado um dos mais belos produzido em língua portuguesa. 
Alceu de Freitas Wamosy faleceu em 13/09/1923, em Livramento, em consequência de um ferimento em combate, durante a Revolução Federalista de 1923, na  qual lutou com alferes.




terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

CAVALGADA DO MAR

E a Cavalgada do Mar continua.  O destino final é a praia de Dunas Altas, em Palmares do Sul, com chegada prevista para o próximo sábado, 06. A partida foi em Torres no dia 30 de janeiro. Este ano o número de integrantes não deverá ser tão expressivo, em razão das exigências inerentes a saúde dos animais. Mas, ao longo do percurso de cerca de 200 km, devem participar entre 1.500 e 2.000 homens e mulheres no lombo de seus cavalos.

As imagens, captadas pelo tradicionalista e meu amigo, Nildo Machado, registram a passagem dos cavalarianos pela praia de Atlântida Sul, na manhã de segunda-feira, 1º de fevereiro.