quinta-feira, 22 de maio de 2014

CASA DO POETA RIOGRANDENSE PRECISA DE ATENÇÃO

Sede da Casa do Poeta, na Borges.
Não sou poeta, mal e mal escrevo uns versinhos, sou apenas um modesto batalhador em favor da arte e da cultura do Rio Grande do Sul. E é justamente por isto que fico triste cada vez que passo em frente a sede da Casa do Poeta Riograndense e me deparo com o atiramento em que ela se encontra.  Sei que a Casa existe a mais de 50 anos e que tem como objetivos principais a preservação e a divulgação da produção literária riograndense. No entanto, me parece que no momento está ocorrendo o contrário.  O espaço, localizado sob o Viaduto Otávio Rocha, na Avenida Borges de Medeiros, Centro Histórico da Capital, a meu ver não preserva absolutamente nada, ao contrário,  deteriora livros e outros materiais que ali se estão depositados. Se eu estiver errado, por favor me corrijam e antecipadamente aceitem minhas desculpas.  Ao mesmo tempo que critico, coloco os espaços que disponho na mídia a disposição para eventuais esclarecimentos e ações que eventualmente precisem ser divulgadas.  
A Casa do Poeta Riograndense merece e precisa de nossa atenção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário