domingo, 14 de fevereiro de 2016

EFEMÉRIDES RIO-GRANDENSES - 14 DE FEVEREIRO

Um dos momentos que mais desperta o interesse dos ouvintes que prestigiam o programa Do Litoral à Fronteira, que eu apresento aos domingos, das 6h ás 8h da manhã, na Rádio Bandeirantes FM 94.9, é o quadro "Efemérides Rio-grandenses", durante o qual destaco os fatos importantes ocorridos, ao longo do tempo, nos ambientes da arte, da cultura e da história do Rio Grande do Sul.
Na medida do possível, reproduzirei diariamente, também aqui no blogue, as informações veiculadas no referido espaço. Espero que vocês gostem e valorizem este trabalho.

Dia 14 de fevereiro:

Casa que abrigou os Ministérios da República Rio-grandense, em Caçapava.
14/02/1839:  Caçapava do Sul se torna a segunda Capital da República Rio-grandense.   Não tendo conseguido se apoderar de Pelotas e Rio Grande, os farroupilhas sentiram-se ameaçados em Piratini, a primeira Capital, e por isso decidiram transferir a sede da República Rio-grandense para um local mais protegido e estrategicamente posicionado no centro do estado: Caçapava.     Dali, partiram algumas iniciativas importantes da rebelião farroupilha, como por exemplo, a ordem de invadir Laguna, em Santa Catarina e proclamar a república Juliana.  
Caçapava foi capital da República Rio-grandense até 30 de maio de 1840, quando os farroupilhas decidem mudar a sede do seu governo para Alegrete.



14/02/1895: Nasce em Uruguaiana, o escritor e poeta Alceu Wamosy.
Poeta simbolista, Alceu Wamosy escreveu poemas cheios de desencanto, em uma produção que se destacou no sul do país e que tornou-se uma das obras mais significativas do Simbolismo brasileiro. Seu soneto “Duas Almas” é considerado um dos mais belos produzido em língua portuguesa. 
Alceu de Freitas Wamosy faleceu em 13/09/1923, em Livramento, em consequência de um ferimento em combate, durante a Revolução Federalista de 1923, na  qual lutou com alferes.




Nenhum comentário:

Postar um comentário