domingo, 3 de abril de 2011

CALIFORNIA CANCELADA POR FALTA DE APOIO

A 37ª Califórnia da Canção Nativa de Uruguaiana, mais uma vez foi cancelada. Segundo os organizadores, a edição programada para  o período entre 07 e 10 de abril não mais será realizada por absoluta falta de recursos financeiros. De acordo com a direção do CTG Sinuelo do Pago, entidade responsável pelo festival, uma nova data será definida para o mês de dezembro de 2011.
A comunidade nativista e tradicionalista de Uruguaiana, a até mesmo de outros municípios, está indignada com a medida e questiona a falta de apoio do poder público que investe milhões no Carnaval  fora de época e nem um centavo na Califórnia, evento definido por lei pelo governo do estado como "Patrimônio Cultural". É lamentável o descaso com a Califórnia, o pioneiro dos festivais e inspiradora da maioria dos eventos do gênero que hoje ocorrem no Rio Grande do Sul. 
Uma fonte fidedígna me confienciou que, por razões pólíticas, ocorrem graves desentendimentos entre a prefeitura de Uruguaiana e os administradores da Califórnia e que estas rusgas resultaram inclusive no pedido de desocupação do imóvel que a prefeitura cedia para a Califórnia e que o evento utilizava há bom tempo como sede oficial.
A gente ouve muitas historias sobre os motivos que levaram a esta dificil situação pela qual a Califórnia está passando, mas de oficial não sabemos nada.
Pois o blog está a disposição para receber e publicar manifestações oficiais e até mesmo comentários ou informações relevantes e devidamente comprovadas sobre o tema. 
Quem sabe não podemos contribuir para a recuperação daquele que já foi o maior festival do estado ?!

5 comentários:

  1. Comentário enviado por email pelo cantor e compositor Nenito Sarturi, um dos nomes mais atuantes no festivais do estado:

    CARO JAIRO!
    Vou ser bem sucinto ao dar minha modesta opinião.
    Enquanto a Califórnia e os outros Festivais que passam por dificuldades não seguirem o exemplo do CANTO MISSIONEIRO, CARIJO e COXILHA (para citar apenas três), sendo "encampados" pelo Poder Público Municipal, vai haver sempre essa dificuldade.
    Um Festival tem que ser instituído por LEI MUNICIPAL, passando pelo crivo da Câmara de Vereadores, tornando-se evento oficial.
    Aqui em Santiago acontece a mesma lorota há anos, esse sai não sai constante.
    E, quando os "bobos" como eu cansam de trabalhar meses gratuitamente, recebendo "pauladas" da imprensa marrom ainda por cima, a peteca cai.
    Resumindo, reitero minha posição: se o Poder Público não se interessar por abraçar a Cultura, através da realização de tais eventos, é melhor que eles nem ocorram.
    Forte abraço.
    Nenito Sarturi.

    ResponderExcluir
  2. Comentário enviado por e.mail pelo músico e compsitor Piero Ereno, um dos mais brilhantes da nova geração nativista:

    Bom dia, Jairo!
    Lamentável este descaso.
    Poderíamos fazer um abaixo-assinado solicitando ao governo do estado incentivos para promoção da califórnia já que é patrimônio cultural do RS.
    A comunidade envolvida com a música nativista é bem considerável...
    Eu assinaria este documento com todo prazer.
    Abraço!
    Piero Ereno.

    ResponderExcluir
  3. Comentário enviado por e.mail pelo radialista Hildebrando Martins, importante comunicador da Rádio Nativa FM de Santa Maria:

    Prezado amigo Jairo. Agradeço a informação, embora triste, sobre o cancelamento da realização da Califórnia da Canção na cidade de Uruguaiana. Concordo com você se realmente o motivo da suspensção é por falta de apoio do poder público, pois um grande número de festivais do gênero estão sendo realizados pelas Prefeituras, como exemplo o 4º Canto Missioneiro, a 18ª Tertulia Musical Nativista, o 22º Grito do Nativismo Gaúcho e tanto outros. A pergunta que fica é "o que está fazendo o Projeto Recriar - Resgate dos Festivais" que foi assinado pelo Ministro da Cultura?
    Um abraço, amigo, e vamos ficar torcendo para que as coisas melhorem.
    Hildebrando Martins de Souza

    ResponderExcluir
  4. Comentário enviado por e-mail pelo cantor e compositor Délcio Tavares, um dos mais importantes e premiados intérpretes do nativismo gaúcho:

    Caro Jairo!
    A Califórnia, que já foi exemplo a outros festivais, parece que não aprendeu a lição daquilo que se propôs a ser, como célula-mater, de um movimento cultural, sem precedentes na história do Brasil!
    Em primeiro lugar: Por que não se transformou numa Fundação?
    As coisa não caem do céu! Como fundação e com uma diretoria profissional bem remunerada, poderia não só existir, como auxiliar outros festivais, financeira e estruturalmente. Com a Credibilidade de uma história cultural de imensurável valor, o que falta é se mexer e não ficar de braços cruzados, esperando pelo poder público.
    A desorganização é tamanha, que do ultimo show que fiz na Califórnia, só restou o cheque sem fundos e de conta encerrada. Por se tratar de um amigo a quem prezo muito, rasguei o cheque e absorvi o prejuízo.
    A Cultura do Rio Grande não pode mais ser administrada de forma amadora! Tem que se profissionalizar! Amor à camiseta, sempre! Mas com profissionalismo! Isso vale pra todos os festivais!
    Com o coração triste, por ver tamanho descaso com o Nativismo gaúcho, elevo mais uma vez a minha voz pela valorização do artista gaúcho: declamador, músico, compositor, cantor, poeta etc. Deve haver mais respeito e companheirismo entre os artistas gaúchos! Devem parar de se verem como inimigos, onde um quer vencer o outro! Quem tem que vencer é o movimento em si e todos serão vitoriosos! O amor pela cultura gaúcha, tem que transcender aos interesses pessoais, para que o movimento como um todo possa se beneficiar!
    Isso se chama PROFISSIONALISMO!

    Abraços e votos de SUCESSO!

    Délcio Tavares

    ResponderExcluir
  5. Comentário enviado pela amiga Fernanda Marcon, doutoranda em antropologia pela UFSC:

    Oi Jairo, fico triste com a notícia.
    Gostaria de saber se há alguma forma de pressionar o poder público. Eu me prontifico à ajudar no que for preciso, já que acabei de te mandar um artigo falando exatamente da importância de se comemorar os 40 anos da Califórnia e, de certa forma, do movimento nativista como um todo.
    Abço!
    Fernanda

    ResponderExcluir